MPF denuncia hacker por invasão a sistemas do Senado

Hacker invadiu a Intranet do Senado Federal e divulgou os dados obtidos no Twitter e Youtube. Caso condenado, ele poderá cumprir até dez anos de reclusão

Manaus – O Ministério Público Federal (MPF) denunciou um hacker por invadir a Intranet do Senado Federal e divulgar os dados obtidos em contas das redes sociais Twitter e Youtube. Caso condenado, poderá cumprir até dez anos de reclusão. Os crimes ocorreram no ano passado quando o investigado, por meio da prática de phishing, obteve dados de um servidor do Senado Federal, o que possibilitou o acesso ao sistema de Intranet do órgão e ao correio eletrônico do servidor. Ao acessar os sistemas internos da casa legislativa, o hacker fez um vídeo expondo a fragilidade de segurança da rede, o qual publicou em seus perfis no Twitter e no Youtube. O denunciado chegou a fazer outra exposição indevida em perfil próprio em uma rede social, publicando trechos do inquérito policial aberto para apurar os crimes cometidos em agosto. Na nova publicação, expôs indevidamente dados pessoais de outro servidor do Senado – o responsável por comunicar as circunstâncias da invasão à Polícia Legislativa do órgão.

Imóveis

Já está em vigor a lei estadual n. 5.429/2 que suspende a desocupação de imóveis e o despejo de inquilinos que estiverem com aluguéis atrasados durante estado de emergência na saúde pública, como o causado pela pandemia do coronavírus.

Vigência

A lei, de autoria do deputado estadual Fausto Jr. (MDB), foi publicada na quarta-feira, 24, no Diário Oficial do Amazonas. O parlamentar explica que a lei abrange apenas imóveis residenciais, e que o objetivo é garantir a moradia de famílias que, por causa da Covid-19 estão sem condições financeiras de pagar o aluguel.

Processos

A Corregedoria-Geral de Justiça do Amazonas (CGJ/AM) disponibilizou em sua página na internet um portal reunindo informações e instruções para o uso do PJeCOR (Processo Judicial das Corregedorias), sistema pelo qual todos os novos processos de competência do órgão estão tramitando.

Cobrança

Sentença do 1.º Juizado Especial Cível da Comarca de Manaus julgou procedente ação de consumidor por inclusão indevida em cadastro de inadimplentes ajuizada contra operadora de serviços de internet, com declaração de inexigibilidade de débitos, determinação de exclusão do nome do autor de órgão de proteção ao crédito e condenação da empresa à indenização de R$ 8 mil por dano moral.

Anúncio