MPF lança ferramenta para identificar ‘robôs’ na internet

A iniciativa é resultado de parceria entre o Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS), e conta com o financiamento da União Europeia

Rio -Entrou no ar, nesta quinta-feira (19), a Central Pegabot, uma plataforma de perguntas e respostas sobre desinformação, automação e eleições, que vai auxiliar procuradores eleitorais, promotores de justiça e demais membros do Judiciário na fiscalização do processo eleitoral. A iniciativa é resultado de parceria entre o Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS), e conta com o financiamento da União Europeia. O objetivo é auxiliar agentes públicos na identificação de robôs, que atuam na propagação de mensagens na internet, e de conteúdos falsos que interferem no equilíbrio da disputa eleitoral. A plataforma traz, por exemplo, informações sobre como identificar o comportamento de um bot, o que é deepfake, com denunciar uma notícia falsa aos provedores como WhatsApp, Twitter, Facebook, Instagram, TikTok, entre outras informações úteis aos agentes públicos. A Central também traz dados úteis para que os eleitores exerçam o papel de cidadão como fiscais do processo eleitoral.

Comissários 1

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) admitiu representação ingressada pela Defensoria Público do Estado (DPE) em que pede a manutenção dos comissários no cargo de delegado de polícia de 1ª classe e se abstenham de promover qualquer alteração sobre denominação e remuneração do cargo.

Comissários 2

A representação da DPE solicita ainda a concessão do prazo de três meses para que a Delegacia-Geral adote providências ao cumprimento da legislação estadual, em relação à extinção do cargo de comissário de polícia e aproveitamento dos servidores públicos afetados nos cargos de delegados de polícia.

Gastos

A Prefeitura de Itacoatiara homologou licitação no valor total de R$ 3,4 milhões para contratar três empresas especializadas para serviços contínuos de manutenção preventiva e corretiva em condicionadores de ar tipo ‘janela’ (parede) e em ar condicionado tipo ‘split’.

Comunidade

O procurador de Justiça Leonardo Gomes Lins Pastl instaurou inquérito civil para apurar a falta de oferta de ensino aos indígenas Kambeba da comunidade Bacaba, em São Paulo de Olivença, no oeste do Amazonas.

Anúncio