MPF quer prisão de responsáveis por desvios da Saúde, no Pará

Eles são investigados desde 2020 e, apesar de estarem em prisão domiciliar, continuavam fazendo lavagem do dinheiro desviado

Brasília – O Ministério Público Federal (MPF) enviou manifestações à Justiça Federal em Belém (PA) contrárias à soltura de dois investigados, presos na semana passada, por supostamente participarem de quadrilha que desviava verbas de combate à pandemia de covid-19 no Pará. Eles são investigados desde 2020 e, apesar de estarem em prisão domiciliar, continuavam fazendo lavagem do dinheiro desviado. Os dois investigados, Nicolas Tsontakis Morais e Regis Soares Pauletti, assim como outros quatro investigados, foram presos na operação realizada na última quarta-feira, 18. Eles chegaram a comprar imóveis e efetuar pagamentos para as empresas subcontratadas que faziam parte do esquema enquanto estavam em prisão domiciliar. Ambos os investigados alegaram, nos pedidos de revogação das prisões preventivas, que necessitavam de tratamentos de saúde. Para o MPF, o sistema carcerário deve providenciar toda a assistência médica e humanitária de que necessitem, mas devem ser mantidas as prisões preventivas pela presença dos requisitos legais para tanto.

Sanitização

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) dispensou licitação para contratar a empresa EControl Controle de Pragas Ltda. para fazer serviços de limpeza e sanitização pelo valor de R$ 16 mil.

Improbidade 1

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio da Promotoria de Justiça de São Sebastião do Uatumã, ajuizou uma ação de improbidade administrativa em face do atual vice-prefeito Francivaldo Loureiro da Cruz, por acumulação de cargos.

Improbidade 2

Como informa a promotora de Justiça Ynna Breves Maia, o vice-prefeito acumula o exercício do mandato político com o cargo de vigia vinculado à Secretaria Estadual de Educação.
.

Ação social

Tramita na Câmara Municipal de Manaus (CMM) projeto que obriga os terminais de ônibus a divulgar fotos e informações de crianças e adolescentes desaparecidos. A proposta visa divulgar o desaparecimento em locais de grande circulação para aumentar as chances de resgate.

Anúncio