O candidato da direita à Prefeitura de Manaus

Na Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (FesPim) nesta quarta-feira (27), Bolsonaro revelou o interesse de ter um nome da Aliança pelo Brasil para brigar pelo comando da cidade

Manaus – A declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre a possibilidade de seu novo partido ter um candidato próprio para disputar a Prefeitura de Manaus no ano que vem acirrou a concorrência entre seus aliados sobre quem representará a direita no pleito da capital. Na Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (FesPim) nesta quarta-feira (27), Bolsonaro revelou o interesse de ter um nome da Aliança pelo Brasil para brigar pelo comando da cidade. “Se o meu partido for formado até março (de 2020), talvez a gente até tenha candidato à prefeitura de Manaus. Isso vai depender das lideranças locais”, afirmou Bolsonaro. Brigam pela preferência do presidente: Alfredo Menezes, superintendente da Zona Franca de Manaus (Sufama), e os delegados Pablo, deputado federal, e Péricles, deputado estadual, ambos do PSL que se destacaram nas urnas, em 2018, mas correndo por fora, vem o deputado federal Silas Câmara (PRB). Os quatro devem travar uma batalha para saber quem receberá a benção do presidente para o pleito do ano que vem.

Qualidade e quantidade

Questionado sobre os nomes ideais para compor o Aliança pelo Brasil no Amazonas e presidir os diretórios, Bolsonaro disse que não há “nenhum nome apalavrado” e que prefere qualidade à quantidade.

‘Respeito a Deus’

Entre os princípios da legenda, anunciados na data de lançamento do partido, 21 de novembro estão o respeito a Deus e à religião; o respeito à memória, à defesa da família; à garantia da ordem, entre outros.

Experimentado

Dentre os quatro nomes que disputam a preferência de Bolsonaro para disputar a Prefeitura de Manaus só Silas foi experimentado nas urnas. Em 2016, ele ficou em terceiro lugar com 115.770 votos, na eleição da capital.

Com Alckmin

Não foi sempre que Silas esteve no grupo de Bolsonaro. Nas eleições de 2018, o partido de Silas coligou com o PSDB, que tinha como candidato a presidente Geraldo Alckmin. O tucano ficou com menos de 5% dos votos.

Elogio a Josué

Ao falar sobre sua decisão de revogar decreto que impedia o plantio de cana-de-açúcar na Amazônia, ontem (27), em Manaus, Bolsonaro voltou a elogiar o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE/AM), Josué Neto (PSD).

Mais empregos

Em discurso no início deste mês, Josué destacou que o ato do presidente irá impulsionar a economia na região. “Fiquei feliz quando ele (Josué) disse que isso traria mais empregos e como o governo vai trazer brevemente”.

*Com a colaboração de Luana D’Avila e Álisson Castro

Anúncio