Pandemia já causou despesas de R$ 411 bilhões

Desse total, mais da metade foi destinada para pagar o auxílio emergencial para mais de 60 milhões de pessoas: R$ 213,02 bilhões

Brasília – O Painel Cidadão do Siga Brasil, ferramenta para acompanhar a execução do orçamento brasileiro, revelou que o governo federal já pagou R$ 411,83 bilhões em 2020 em despesas ligadas diretamente ao combate ao coronavírus e às consequências sociais e econômicas da pandemia. Desse total, mais da metade foi destinada para pagar o auxílio emergencial para mais de 60 milhões de pessoas: R$ 213,02 bilhões.O auxílio emergencial acabou ficando em cinco parcelas de R$ 600, contra as três inicialmente previstas. Também já houve a prorrogação da ajuda por mais quatro meses, mas no valor de R$ 300. Nas últimas semanas, muitos senadores vêm se manifestando em defesa da prorrogação do auxílio no valor de R$ 600 até o fim do ano, pelo menos, para que as famílias consigam superar os impactos da pandemia mais facilmente. Para senadores, o gasto com a pandemia foi em grande parte para programas, projetos e áreas sociais.

Leitos

Na última quarta-feira (23), o Ministério da Saúde habilitou leitos de Suporte Ventilatório Pulmonar para atendimento exclusivo dos pacientes da Covid-19 para os municípios de Amaturá e Manicoré e estabelece recurso financeiro do Bloco de Manutenção das Ações e Serviços Públicos de Saúde no valor de R$ 28 mil.

Pesquisa 1

Na capital, a Escola de Enfermagem de Manaus firmou termo de adesão com a Universidade de Brasília (UnB) para a realizar a pesquisa ‘Análise das práticas de Enfermagem no contexto da Atenção Primária à Saúde (APS)’.

Pesquisa 2

O estudo abrange 108 municípios da federação, distribuídos nos 26 estados e Distrito Federal, e visa compreender as práticas profissionais dos enfermeiros que atuam na Atenção Primária à Saúde no Brasil. A previsão é que os resultados sejam publicados no primeiro semestre de 2021.

Investimentos

O deputado federal Pablo Oliva (PSL) defendeu nesta sexta-feira (25) os projetos do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) voltados para o Amazonas. O parlamentar diz que são 14 áreas espalhadas em Manaus e interior do Estado, abrangendo setores como fornecimento de energia elétrica, exploração mineral, aeroportos, radiocomunicação e processamento de dados, entre outros.

Anúncio