Região registra pior índice de fechamento de empresas

Em 2015, a Região Norte apresentou a pior taxa de sobrevivência de empresas (relação entre o número das que fecharam e o total) do País, segundo estudo do IBGE | Claro & Escuro

Região registra pior índice de fechamento de empresas

Em 2015, a Região Norte apresentou a pior taxa de sobrevivência de empresas (relação entre o número das que fecharam e o total) do País, segundo o estudo Demografia das Empresas 2015, do IBGE, divulgado ontem. Naquele ano, as 4,6 milhões de empresas ativas no País tinham 5 milhões de unidades locais ativas, das quais 50,5% estavam localizadas na Região Sudeste; 22,3%, na Região Sul; 15,3%, no Nordeste; 8,2%, no Centro-Oeste; e 3,6%, na Região Norte. Do total de unidades locais, 4,2 milhões eram sobreviventes em relação a 2014 (84,4%), 776,3 mil (15,6%) foram entradas e as saídas totalizaram 780,7 mil (15,7%) de unidades. As regiões Sul e Sudeste apresentaram as maiores taxas de sobrevivência, 85,9% e 84,9%, respectivamente, acima da média nacional (84,4%). Em contrapartida, as maiores taxas de entrada e saída foram observadas no Norte (20,1% e 17,7%), Nordeste (17,7% e 15,9%) e Centro-Oeste (17,5% e 16,3%), assim como as menores taxas de sobrevivência (79,9%, 82,3% e 82,5%, respectivamente).

Dinheiro para eleição

O Ministério Público do Estado investiga repasses para a Prefeitura de Anori, em 2014, com “alegada finalidade eleitoral e, em alguns casos, sem que a existência prévia de convênios”.

AM e os 48 governadores

Com sua posse, ontem, Amazonino Mendes se tornou o 48º governador do Amazonas durante o período republicano, ou o 49º contando com a interinidade do ex-governador David Almeida.

Promotor suspenso

A Procuradoria Geral do Estado aplicou pena de suspensão de 30 dias, com conversão em multa, ao promotor de Justiça Gerson de Castro Coelho.

Diárias de vereadores

Pagamentos e recebimentos indevidos de diárias por vereadores de Beruri estão sendo investigados pelo promotor de Justiça no município, Gerson de Castro Coelho.

Prédio abandonado

O Ministério Público do Estado apura omissão de 11 delegados na guarda e preservação do imóvel em que funcionava a Delegacia de Repressão a Entorpecentes, no bairro Educandos, em Manaus.

Anúncio