Sociedade vai pagar a conta pelo impasse na negociação

Categorias que prestam serviços essenciais à população prometem obedecer a lei das greves com o atendimento restrito, mas não ininterrupto

Manaus – A sociedade vai enfrentar uma semana de dificuldades com a confirmação de paralisação das categorias que prestam serviços essenciais à população. Os sindicatos dos servidores públicos prometem obedecer a lei das greves com o atendimento restrito, mas não ininterrupto. As entidades alegam que o Estado fechou as portas da negociação e mantém medida que interrompe os reajustes salariais e as promoções que, neste último caso, atinge diretamente a carreira dos policiais militares. A insatisfação dos servidores com o Estado será transferida para a população que, mesmo na normalidade, já enfrenta a grave crise que atinge alguns setores, especialmente saúde e segurança. O resultado das interrupções dos serviços, além de prejudicar a vida do cidadão, afeta a economia do Estado, com os cortes no fornecimento de produtos e serviços. O descontentamento das categorias, portanto, deverá se estender para o cidadão, que já paga elevados impostos e não terá a contrapartida do Estado na prestação dos serviços essenciais.

Futebol

O Manaus Futebol Club, que conquistou vaga na Série C do Brasileirão, será homenageado em sessão especial na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), nesta terça-feira. A iniciativa é dos deputados Josué Neto (PSD) e Alessandra Campêlo (MDB).

Badalado

A festa foi na sexta-feira, mas ainda está entre os assuntos mais badalados das redes sociais, o aniversário da deputada Joan D’Arc (PR). A festa contou com a presença de políticos, entre eles o governador Wilson Lima, no momento de uma grave crise que o Estado enfrenta.

Prioridades

Os pagamentos do governo do Estado para a Umanizzare, que faz a gestão dos presídios são astronômicos. O mesmo não ocorre para as empresas que fornecem serviços médicos, como o Instituto de Cirurgias do Estado do Amazonas (Icea), o que resultou na suspensão do atendimento.

Imóveis

Um termo de cooperação que permite à Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) acesso aos registros de imóveis do acervo do sistema da Associação dos Notários e Registradores do Amazonas (Anoreg-AM) foi firmado pelo defensor geral em exercício, Antonio Cavalcante de Albuquerque Junior, e o presidente da Anoreg, Marcelo Lima Filho.

Anúncio