TSE desmente que urnas estão programadas para horário de verão

Por meio de sua conta no Twitter e em sua página oficial na internet, o tribunal desmentiu o boato. ‘Atenção, eleitor! O horário de verão só começa em novembro’

Manaus – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desmentiu notícia que circula nas redes sociais que diz que as urnas eletrônicas estão equivocadamente programadas de acordo com o horário de verão que, neste ano, foi adiado para novembro, em vez de iniciar em outubro. Por meio de sua conta no Twitter e em sua página oficial na internet, o TSE desmentiu o boato. “Atenção, eleitor! O horário de verão só começa em novembro”.

TSE desmente que urnas estão programadas para horário de verão (Foto: Elza Fiúza/ABr)

Discussão – O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) promovem seminário para discutir a atuação da saúde suplementar na visão do STJ (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Excedentes
Em seguida, o MP-AM determina prioridade aos procedimentos antigos com relevância social, a seguir os procedimentos classificados como excedentes e, posteriormente, a atuação nos demais procedimentos.

Urnas 1
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou, ontem, que em todo o mundo, 35 países já utilizam sistemas eletrônicos para captação e apuração de votos, segundo levantamento do Instituto Internacional para a Democracia e a Assistência Eleitoral (Idea Internacional), sediado em Estocolmo (Suécia).

Urnas 2
A lista inclui democracias consolidadas como a da Suíça, do Canadá, da Austrália e dos Estados Unidos, país que adota sistemas eletrônicos em alguns Estados. Na América Latina, México e Peru também fazem uso do sistema.

MAIS INFO
2,1 milhões de estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ainda não sabem onde farão as provas, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

R$ 1 bilhão foi liberado pelo governo federal para tentar acelerar obras que possam ser inauguradas ou iniciadas antes do final do mandado do presidente Michel Temer anunciou, ontem, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun.

Anúncio