Unidades de conservação melhoram condições de ribeirinhos na Amazônia

O levantamento foi feito por pesquisadores das universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) e de Alagoas (Ufal)

Brasília – Apenas 5% dos adultos moradores de unidades de conservação (UC) em comunidades ribeirinhas da região amazônica gostariam de se mudar para a cidade, em comparação a 58% que vivem em áreas desprotegidas. Os dados são de pesquisa publicada nesta segunda-feira, 27, na revista PNAS. O levantamento foi feito por pesquisadores das universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) e de Alagoas (Ufal).

Comunidade de ribeirinhos em Manaus. Foto: Agência Brasil

Recursos 2

Segundo portaria publicada no Diário Oficial da União, o projeto tem o objetivo de “difundir a arte, a cultura amazônica e todo seu legado para públicos que precisam conhecer a realidade da floresta e o quanto isso influencia na vida dos povos de todo o Brasil”.

Denúncia

Vereadores da Câmara Municipal de Itacoaatiara decidiram receber, ontem, denúncia contra o vereador Benedito Cabral Rezende Junior, conhecido como Junior Galvão (PSC) por ter recebido irregularmente salário da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Postos

Sindicatos de frentistas querem derrubar uma tentativa de implementar bombas de autoatendimento nos postos de combustíveis. A proposta é do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

blank

A Academia de Letras e Culturas da Amazônia (Alcama) realizou solenidade de diplomação e posse de seus novos membros. Entre os diplomados estão quatro magistrados: Flávio Pascarelli, Lídia de Abreu Carvalho, Wellington Araújo e Eliezer Fernandes. Foto: Divulgação

Anúncio