Vinda de Mourão ocorre em momento crucial na Saúde

A visita ocorre em momento oportuno, quando a Assembleia Legislativa do Estado (ALE) aprova pedido ao governo federal de intervenção no setor de saúde

Manaus – A vinda do vice-presidente da República general Hamilton Mourão a Manaus, por intermediação do superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), coronel Alfredo Menezes, mostra a preocupação do governo federal com a situação crítica da saúde no Amazonas. A visita ocorre no momento oportuno, em que a Assembleia Legislativa do Estado (ALE) aprova pedido ao governo central de intervenção no setor de saúde. A necessidade do reforço federal é urgente por conta do colapso do sistema do Amazonas, que já estava na beira do abismo antes da pandemia do coronavírus. O problema sobra, como sempre, para a população, principalmente para a fatia incapaz de pagar leitos de UTIs em unidades privadas. No hospital de referência da área pública, o Delphina Aziz, a oferta está se esgotando. Somado a isso, a demora e as trapalhadas e bravatas na abertura de uma unidade de campanha ainda sem estrutura para funcionar, como atestaram os órgãos de fiscalização, contribuem para tornar o cenário mais caótico.

Sobrepreço

A repercussão negativa da compra de ventiladores com sobrepreço teve destaque também na imprensa do País e foi reconhecida até pelo Estado. O governo jogou a culpa nos fornecedores, que especularam na crise de oferta. Não seria o caso de cancelar a compra?

‘Costa larga’

A aquisição dos respiradores sem licitação foi amparada no decreto de calamidade pública e intermediada por uma empresa que também atua no segmento de bebidas e possui uma ‘costa larga’, muito além do registro na Junta Comercial. A nota de empenho foi emitida em um dia e no dia seguinte a fatura foi paga.

Transparência

O deputado estadual Delegado Péricles (PSL) criticou a postura adotada pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) em manter sigilosas todas as ações tomadas em relação ao combate ao coronavírus no Estado.