Wilson Lima tem muito a explicar à CPI do Senado

O governador teceu informações importantes sobre o governo federal ao afirmar que a gestão do Ministério da Saúde soube da falta oxigênio em Manaus

Brasília – Wilson Lima deve figurar na condição de testemunha na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado. O governador do Amazonas teceu informações importantes sobre o governo federal ao afirmar, por exemplo, que a gestão do Ministério da Saúde soube da falta oxigênio em Manaus no mês de janeiro. Essas informações, inclusive, justificaram a existência da própria Comissão Parlamentar. O problema é que o governador do Amazonas quer se esquivar com o argumento ‘falacioso’ de violação do pacto federativo. Porém, esse argumento cai por terra quando se vê que a CPI pretende apenas confirmar e entender com detalhes acerca da conduta adotada pelo governo federal no enfrentamento da pandemia. Aliás, não parece razoável o governador do Amazonas revelar comportamentos gravíssimos sobre o governo federal e, agora, se eximir de falar à população. Na quarta-feira, a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou Wilson Lima a não comparecer à CPI da Covid.

Ajuste

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus publicou ajuste de contas para a pagar, em forma de indenização, a empresa RR Construções e Transportes Ltda., pelo valor de R$ 2,2 milhões por recuperação da infraestrutura do Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo.

Iniciativa

O vereador Raiff Mattos (DC) apresentou projeto de lei para proibir de verba pública na promoção de eventos que promovam de forma direta ou indireta a sexualização de crianças e adolescentes.

Demandas

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) promoveu, ontem, reunião com lideranças indígenas da calha do alto Rio Negro para discutir as demandas, necessidades e dificuldades enfrentadas por essa população naquela região.

Aplicativo

O Ministério Público Federal (MPF) e a organização não-governamental Conservação Estratégica (CSF-Brasil) lançou a ‘Calculadora de Impactos do Garimpo Ilegal de Ouro’.

 

Anúncio