A cocada do Bibi: o senador e os petistas infiltrados

O que é que a cocada do Bibi, lá do bairro de Aparecida, em Manaus, tem a ver com petistas infiltrados nos ataques às sedes dos Três Poderes, em Brasília? Tudo

O que é que a cocada do Bibi, lá do bairro de Aparecida, em Manaus, tem a ver com petistas infiltrados nos ataques às sedes dos Três Poderes, em Brasília? Tudo. E com a declaração daí decorrente do senador coisificado Marcos do Val (Phodemos-ES, vixe vixe), ameaçando pedir o impeachment de Lula e a prisão do ministro da Justiça, Flávio Dino? Tudo. Por isso, é conveniente digerirmos essa cocada. É o que faremos a seguir.

Bibi, meu cunhado, embora diabético, costumava se esgueirar de madrugada pela cozinha para comer cocadas, que foram então banidas da casa pela minha irmã Helena. Um dia, ela conferiu as compras da semana no supermercado e lá, numa sacola, viu escorrendo leite condensado pelas beiradas. Sempre que usava o nome completo dele, era pra dar esporro:
– Jefferson Marques de Souza, o que significa isso aqui? – perguntou, desencavando várias cocadas cremosas infiltradas em rolos de papel higiênico.
– Foi um presente da moça do Caixa. Só aceitei pra gente ter o que oferecer às visitas, não é pra mim – fabulou ele jairmente, negando as evidências contrárias. Rasgou a nota fiscal com o registro das cocadas, que foram guardadas na prateleira da cozinha, de onde cada dia desapareciam duas ou três. Quando constatou o desfalque, Helena berrou chorosa:
– Tu estás te suicidando, não podes comer doce, pensa nas nossas netas.
Sem gaguejar, de pés juntos, Bibi jurou pela fé da mucura que não havia comido, voltou a jurar pela fé do guará e tornou a repetir pela fé do quati.

Ela cobrou:

– Não jura que Deus castiga. Só vivemos nós dois nesta casa, a única visita nesses dias foi a da Tati, que odeia cocadas. Quem foi então que comeu?
– Helena, tu não sabes que cocada se evapora? Ela é feita com leite evaporado das vacas do Cambixe, no Careiro da Várzea. A Organização Mundial da Saúde garante que em sua fase gasosa, ela se evapora graças ao gás circundante não saturado. Foi por isso que a Caixa do Supermercado me deu de presente.

Rei da cocada preta

O trololó do Bibi parece ter inspirado o senador Marcos do Vale e o governador de MG, Romeu Zema, autodeclarados herdeiros do Imbrochável. O senador postou no twitter várias cocadas volatilizadas: Lula “colocou em risco nossa democracia e a vida” porque “deixou acontecer os ataques”, mas seu impeachment está com os dias marcados. Acusou Flávio Dino “pelo crime de prevaricação e por outros crimes do Código Penal” e que iria requerer a prisão e o “imediato afastamento do ministro da Justiça”.

A imaginação prodigiosa do Bibi num discurso em privado dentro das quatro paredes de seu lar só teve consequências para ele e sua família. Mas a do senador Val, feita publicamente, pretende prejudicar o Brasil ao alimentar os delírios golpistas. No afã de puxar o saco do Coiso, o senador tenta atropelar a nossa inteligência sem a menor cerimônia.

Nem o Bibi, nem Marcos do Val, que se acha o rei da cocada preta, acreditam no que falaram. Quem crê em tais absurdos são os golpistas fanáticos e idiotizados, para quem a vacina contra a covid causa aids, a terra é plana e os atos de vandalismo foram cometidos por petistas e comunistas infiltrados entre manifestantes pacíficos.

Não se trata, portanto, apenas de uma simples mentira, o que já seria uma grave delinquência, mas de uma safadeza criminosa. “O senador Marcos do Val quer culpabilizar a vítima” – disse Flávio Dino, que não deu mais confiança, consciente de que as palavras do parlamentar capixaba se evaporam como a cocada do Bibi.

Anúncio