Amazonas ultrapassa marca de 10 mil mortes pela Covid-19

Nesta terça-feira (16), 1.808 novos casos e mais 108 mortes pela doença foram registrados. Total de recuperados chega a 253.207 e o total de mortes no Estado é de 10.100

Manaus – O Amazonas atingiu nesta terça-feira (16) a marca de 10.100, após a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), registrar mais 108 óbitos por Covid-19. Ainda segundo o boletim foram 1.808 novos casos de Covid-19, totalizando 297.687 casos da doença no Estado. Já o País atingiu 240 mil mortes.

A Prefeitura de Manaus informa que um total de 106 sepultamentos foram registrados nos cemitérios da capital do Amazonas, nessa terça-feira (16). Desses, 79 foram nos espaços gerenciados pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp). Não houve opção pelo serviço de cremação. Dois óbitos oriundos de outras cidades foram registrados. Já nos cemitérios particulares, 27 enterros foram realizados.

Entre os casos confirmados de Covid-19 no Amazonas, há 1.643 pacientes internados, sendo 1.024 em leitos (217 na rede privada e 807 na rede pública), 562 em UTI (233 na rede privada e 329 na rede pública) e 57 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde.

Foram confirmados 108 óbitos por Covid-19, sendo 55 ocorridos na segunda-feira (15), elevando para 10.100 o total de morte (Foto: Alex Pazuello / Semcom)

Há ainda outros 310 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 211 estão em leitos clínicos (60 na rede privada e 151 na rede pública), 76 estão em UTI (47 na rede privada e 29 na rede pública) e 23 em sala vermelha.

Descartada

A FVS-AM ainda informou nesta terça, que o óbito de um homem, de 83 anos, registrado em Manaus no último dia 30, não tem relação com a dose do imunizante AstraZeneca/Oxford, contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2), tomada pelo homem no dia 29 de janeiro.

A investigação, como Evento Adverso Pós-Vacinação (EAPV), foi realizada pelo Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), órgão vinculado à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM); em parceria com a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT/HDV).

O laudo de necropsia aponta que a causa da morte do idoso foi infarto agudo do miocárdio (músculo cardíaco). Portanto, o óbito foi descartado como ocorrência associada à vacina contra o novo coronavírus.

A FVS-AM acrescenta que o manejo apropriado dos EAPV é essencial para manter o sistema de vigilância sensível, avaliar a segurança do produto e dar resposta rápida a todas as preocupações da população relacionadas às vacinas.

Anúncio