Braga apresenta prestação de contas de recursos federais para combate à Covid-19 no AM

Senador Eduardo Braga participou da sessão remota da Câmara Municipal de Manaus da manhã desta quarta-feira (13)

Manaus – A sessão remota da Câmara Municipal de Manaus (CMM) da manhã desta quarta-feira (13) contou com a presença do senador Eduardo Braga, que divulgou para os vereadores da Casa que o Estado contará com R$ 2,188 bilhões do Programa Federativo de Enfrentamento do Coronavírus até o final deste ano. São R$ 120 bilhões aos Estados e municípios aprovados pelo Congresso Nacional. A medida ainda depende da sanção presidencial.

Eduardo Braga divulgou para os vereadores da CMM que o Amazonas contará com R$ 2,188 bilhões do Programa Federativo de Enfrentamento do Coronavírus até o final deste ano (Foto: Reprodução/Facebook)

De acordo com o parlamentar, o programa de socorro financeiro também prevê ao governo estadual R$ 679 milhões, oriundos da suspensão do pagamento de dívidas com a União e de organismos internacionais multilaterais ─ como BID, BNDES e PAN. Manaus será contemplada com R$ 254,5 milhões de recursos novos e vai deixar de pagar outros R$ 84 milhões de empréstimos com bancos públicos e privados, nacionais e internacionais.

Braga disse ainda que este mesmo projeto destina mais R$ 59 milhões aos 62 municípios amazonenses, distribuídos conforme critérios populacionais e completou informando que, contando com o projeto de socorro aos Estados e municípios, emendas parlamentares e recursos transferidos pela União fundo a fundo para programas específicos, o Amazonas recebeu mais de R$ 600 milhões no período de janeiro a maio deste ano.

“Essa é a forma como a bancada federal do Amazonas está trabalhando para socorrer o povo amazonense dessa doença e estamos analisando outras propostas. O interior do Estado, incluindo a capital Manaus, também vai contar com outros R$ 424 milhões livres para investimentos nas áreas da saúde e programas de fortalecimento da economia no interior”, disse o senador.

Falta de atitude do governo e PIM

Eduardo Braga também disse que é inadmissível um hospital de campanha alugado pelo governo do Amazonas por um valor milionário ter leitos de UTI inoperantes por falta de aparelhos e mão de obra. O parlamentar cobrou ainda que o Estado pressione mais as grandes empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) na ajuda ao combate da Covid-19.

“Elas deveriam ter obrigação moral e ética de ajudar neste momento. Muitas empresas estão na Zona Franca de Manaus há 50 anos, ganhando dinheiro com isenção fiscal. Deveriam estar assumindo estes hospitais de campanha, na capital e no interior, pagando com o dinheiro da isenção dos impostos feito pela ZFM. Falta o governo cobrar estas atitudes. Eu estaria fazendo isso, se estivesse na posição de governador, estaria tentando salvar vidas. Mas respeito a decisão democrática do povo, que escolheu o atual governador”, finalizou.

Dinheiro na conta

O senador Eduardo Braga também informou, na manhã desta quarta-feira (13), que o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que realiza os exames de Covid-19, recebeu R$ 2 milhões que foram depositados na conta do Fundo Estadual de Saúde. A quantia de R$ 1 milhão também foi depositado na conta do Instituto de Medicina Tropical, para apoiar o estudo científico da doença.

Pós-pandemia

De acordo com o parlamentar, a ajuda financeira ao Amazonas será aplicada diretamente no enfrentamento a doença e nas ações de reconstrução econômica e social do Estado, a chamada pós-pandemia. O governo estadual receberá diretamente da União R$ 399 milhões para serem aplicados na saúde pública e outros R$ 626 milhões livres para investimentos em ações do processo de retomada do crescimento econômico e também social.

Anúncio