Cemitério do Tarumã terá memorial em homenagem às vítimas do coronavírus

“Ternura pelos que foram, respeito aos que ficam”, disse Arthur Neto ao anunciar criação do memorial

Manaus – O Cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã, zona oeste da capital, ganhará um memorial em homenagem às vítimas da pandemia de Covid-19. “Esse projeto mostrará nossa ternura aos que se foram e o respeito pelos que ficaram com a saudade”, definiu o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ao anunciar o projeto em vídeo publicado em suas redes sociais.

(Foto: Alex Pazuello)

“Será um monumento simples, mas bonito, que vai refletir a alma de Manaus, no pesar e na capacidade de reconstruir, e que sirva de satisfação para nós mesmos, que governamos, para as próprias famílias e para o mundo que espalhou as imagens, como manda o deve, desse momento delicado e que espalhará também as notícias do nosso memorial”, declarou o prefeito.

O conceito do Memorial das Vítimas da Pandemia da Covid-19, como é previamente chamado, será uma homenagem à saúde pública, seus agentes e à necessidade de preservação da vida, proporcionando um local de reflexão e pausa, segundo a informações da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), que gerencia os cemitérios públicos da cidade.

“Será um espaço solene que remete ao silêncio e à oração em prol dos entes queridos perdidos nessa cruzada civilizatória sem precedentes. A arquitetura terá a nominata gravada em chapa de aço inox de todas as vítimas, organizado pela data de óbito”, informou o secretário da Semulsp, Paulo Farias, acrescentando que o projeto será uma doação do arquiteto Roberto Moita.

O projeto propõe a criação de um grande muro facetado, que organiza o limite entre a via de acesso e o campo das sepulturas. Uma grande base para velas vai oferecer espaço para preservar a tradição de velar os entes queridos. A estrutura também contempla paisagismo e bancos para proporcionar conforto e apoio aos visitantes. Segundo a Semulsp, a área total do memorial será de 16 mil metros quadrados e aproximadamente 3,5 mil sepulturas.

“Sinto que é dever nosso. Vamos identificar cada sepultura, separar as causas, deixar tudo muito bonito e confortável para homenagens aos entes queridos. Que sirva de homenagem aos heróis e às vítimas da Covid-19, porque a vida há de continuar com toda maturidade civilizatória que caracteriza os grandes povos, àqueles que aprenderam e que construíram, com o sofrimento muita sabedoria, amor e solidariedade”, finalizou o prefeito Arthur Neto.

Fundado em 1976, o cemitério do Tarumã está localizado na Avenida do Turismo, 107, e possui 70 quadras perfazendo área total de aproximadamente 105 hectares. O espaço é o único público em atividade para novos sepultamentos, já que os demais cemitérios estão ocupados em sua totalidade e atendem somente sepultamentos em jazigos familiares.