Corpo de enfermeiro desaparece do Hospital Delphina Aziz e secretaria pede ‘desculpa’

A família informou que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) não deu nenhuma satisfação sobre o paradeiro do corpo do enfermeiro

Manaus – O enfermeiro Gilberto Pinheiro da Silva morreu na madrugada deste domingo (27), vítima de Covid-19, no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Aziz, na zona norte de Manaus. Segundo os familiares, o corpo do enfermeiro desapareceu do hospital e a Secretaria de Estado de Saúde (SES) não dá satisfação sobre o paradeiro.

‘Gil’, como o enfermeiro era conhecido, faleceu por volta das 3h deste domingo, 27  (Foto: Divulgação)

O comunicado sobre o falecimento de ‘Gil’, como o enfermeiro era carinhosamente conhecido, veio por volta das 3h deste domingo (27). Impactados com a notícia, após algumas horas, durante os procedimentos para liberação do corpo, familiares e amigos descobriram que ele havia sumido das dependências da unidade hospitalar.

“Gilberto deixou esposa e um filho de dois meses. Não é justo que o Hospital Delphina Aziz e o Governo do Amazonas não dêem conta do corpo dele, em um momento de dor. Por favor, clamamos por justiça. Isso não é justo com um homem que dedicou sua vida para salvar vidas durante o ápice da pandemia”, disse Eduardo Ribeiro, amigo do enfermeiro falecido.

Eduardo também lançou uma campanha nas redes sociais chamada “Cadê o corpo do enfermeiro Gilberto?”, para mobilizar e chamar a atenção das autoridades sobre a situação da família de “Gil” para realizar o funeral.

“Eu prometo a você e seus familiares, enquanto existir Deus nesta terra, que eu só irei parar, só irei descansar, quando conseguir encontrar seu corpo para que você tenha um enterro justo, um velório digno, como você merece, meu irmão”, finalizou.

Nota

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) informou que será aberta sindicância para investigar o Instituto Nacional de Desenvolvimento Humano (INDSH), responsável por administrar o Hospital Delphina Aziz, após a troca dos corpos de dois pacientes, neste domingo (27), e determinar as responsabilidades pelo ocorrido.

Segundo a SES-AM, a Secretaria Executiva de Controle Interno também acompanha o caso.

De acordo com a direção da unidade, a troca aconteceu no momento da liberação dos corpos para o serviço funerário, por se tratarem de pessoas com o mesmo nome. A direção do INDSH também informou que já resolve a questão junto às famílias envolvidas e que irá abrir sindicância interna para apurar o caso.

Na nota, a SES-AM ressaltou que não aceita esse tipo de falha, se desculpa pelo terrível equívoco e reforça que dará todo apoio necessário às famílias para reparar o transtorno causado neste momento de dor.

Anúncio