Enfermeira que pedia doação de materiais para fazer EPI’s é exonerada

Segundo a Susam, o motivo da exoneração foram os ajustes que vêm sendo feitos para melhorar o atendimento nas unidades da rede estadual de saúde

Manaus – A chefe de enfermagem do Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, que pedia doação de materiais para fabricar equipamentos de proteção individual, por meio de uma campanha que circulava nas redes sociais, foi exonerada. Segundo a assessoria da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam), a demissão da profissional, que exercia um cargo comissionado, deu-se em função de ajustes que vêm sendo feitos para melhorar o atendimento nas unidades da rede estadual de saúde.

A campanha organizada pela chefe de enfermagem, que trabalhava no Hospital Platão Araújo, era realizada nas redes sociais (Foto: Alan Geissler/Arquivo GDC)

A campanha organizada pela chefe de enfermagem ganhou força nas redes sociais e solicitava doações de materiais para a fabricação artesanal de equipamentos de proteção individual (EPI’s), que seriam utilizados pelos profissionais da saúde. De acordo com a postagem de uma amiga da profissional numa rede social, a gerente foi demitida pela direção do Hospital Platão Araújo por organizara campanha.

O governo do Amazonas está adotando uma série de medidas para reorganizar o fluxo de serviços em unidades de saúde de urgência e emergência que têm recebido pacientes suspeitos do novo coronavírus (Covid-19).

A equipe de reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO não conseguiu entrar em contato com a profissional de saúde exonerada pela Susam.

Anúncio