‘Esperamos salvar o maior número de vidas’, diz Nelson Teich

O ministro da Saúde começou pelo Amazonas a série de visitas que fará aos Estados brasileiros com foco no combate ao novo coronavírus

Manaus – O Amazonas foi o primeiro Estado a receber a visita do ministro da Saúde, Nelson Teich. Acompanhado do secretário-executivo do Ministério da Saúde, general Eduardo Pazuello, e do governado do Estado, Wilson Lima, Teich falou, durante pronunciamento online na noite deste domingo (3), sobre a chegada de cerca de 270 profissionais de saúde do programa ‘Brasil Conta Comigo’, para atuar na crise que se instalou na capital e no interior, devido a pandemia no novo coronavírus.

Em Manaus, o ministro Nelson Teich (à esquerda) fez um pronunciamento online na noite deste domingo (3) (Foto: Divulgação)

Durante pronunciamento, transmitido da sede do governo do Amazonas, no bairro Compensa, zona oeste, o ministro afirmou que a situação que o mundo está vivendo sobrecarregou os sistemas de saúde. Por isso, a única alternativa está sendo trabalhar de forma unida. A atuação de Pazzuelo na pasta também foi destaque, por estar focada no Amazonas.

“É fundamental estar perto das pessoas, devemos trabalhar todos juntos, nosso foco é de entrega. A gente espera salvar o maior número de vidas e trabalhar para o sistema de saúde sair mais forte do que nunca. É um prazer começar esse trabalho por aqui”, declarou o ministro.

Pazzuelo explicou que foi feito um contrato com quatro grandes empresas de São Paulo (SP) para fabricar em grandes quantidade respiradores e insumos que devem ajudar no combate à pandemia. A ideia é priorizar as produções no País, para dar celeridade no abastecimento desses equipamentos.

“Essa produção está impactada pelos insumos vindos do exterior. Estamos buscando outras alternativas, para distribuir na quantidade necessária. Nós não trabalhamos de forma linear, nosso foco é onde o problema está acontecendo mais gravemente”, afirmou.

Ao vivo, Wilson Lima pediu ao ministro da saúde a antecipação da campanha de vacinação no Amazonas, por conta do inverno amazônico. Outro ponto que foi levantado pelo governador é necessidade de testes rápidos à população, para ajudar no diagnóstico da Covid-19. Teich disse que está sendo montada uma estratégia para atender as demandas.

“O projeto de teste começa na semana que vem, priorizando grupos de risco, que serão definidos pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O número de testes que está previsto é entre 20 e 21 milhões, fora o que ainda podemos conseguir. A parte da vacina ainda estamos revendo esse projeto, não dá para trabalhar o Brasil como uma coisa só, precisamos detalhar a ação para fazer a coisa certa”, respondeu Teich.

Os estudos em torno da hidroxicloroquina no Brasil devem apresentar um dado mais linear a partir desta semana. Para o ministro da Saúde, a vacina ainda deve demorar um pouco, mas é a melhor saída para enfrentar o vírus. Ao todo, o Amazonas recebeu, neste final de semana, 45 respiradores, 3 toneladas de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e álcool em gel.

Chegada à Manaus

O ministro da Saúde, Nelson Teich, acompanhado pelo general Eduardo Pazuello, chegou a capital do Estado neste domingo, por volta das 17h20, e foi recebido pelo superintendente da Suframa, Alfredo Menezes. Ao longo dos próximos dias, eles poderão acompanhar, in loco, a precária situação do Estado.

A comitiva do Ministério da Saúde desembarcou no Terminal 2 do Aeroporto Eduardo Gomes, o ‘Eduardinho’, em um jatinho da Força Áerea Brasileira (FAB).