Estado omite mortes por Covid e FVS admite

O registro de óbitos por Covid-19 pelo Governo do Amazonas no mês de março a setembro foi incorreto. Cerca de 24% das mortes não foram registradas corretamente, afirma The Intercept Brasil

Manaus – O registro de óbitos por Covid-19 pelo governo do Amazonas no mês de março a setembro foi incorreto. Cerca de 24% das mortes não foram registradas corretamente e o erro foi admitido em reunião convocada pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) após denúncias de pesquisadores e epidemiologistas.

De acordo com denúncia realizada nesta segunda-feira (5) pelo The Intercept Brasil, o governo do Amazonas não registrou corretamente os dados de mortes em decorrência do novo coronavírus e decretou o fim do novo coronavírus em junho.

No mês de junho o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), divulgou um vídeo falando sobre os dados divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) e reforçando que não existia possibilidade de lockdown em Manaus.

“Estou aqui com o boletim da FVS, do dia 24 de junho, quarta-feira. Nele não há nenhum registro de óbito por coronavírus aqui na capital Manaus. Essa é uma notícia muito alentadora”, disse.

Em reunião convocada pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) em 11 de setembro, após denúncia de pesquisadores e epidemiologistas, mostra o momento em que dados da FVS foram confrontados e o erro de registro de mortes por covid-19 foi admitido por Rosemary Pinto, diretora-presidente da FVS.

Apenas no dia 2 de setembro, a FVS divulgou três boletins gráficos com dados diferentes de óbitos por Covid-19. Segundo levantado pelo Intercept Brasil, com a epidemiologista Jesem Orellana da Fiocruz Amazônia, o governo deixou de registrar cerca de 24% das mortes pelo vírus, entre março e agosto, em Manaus.

No dia 1º para o dia 2 de setembro, um dos gráficos divulgados pela FVS registrava 164 novas mortes por covid-19 enquanto outro gráfico, no mesmo boletim, informava apenas quatro mortes. O terceiro gráfico disponível no site da FVS informava seis novas mortes no estado nas mesmas 24 horas. Esse erro foi apontado durante reunião com o MP. “Você tem razão, é isso mesmo. Nós temos um erro aí, precisamos rever”, afirmou a diretora-presidente da FVS.

Quando o governador Wilson Lima decretou o controle dos casos de Covid-19 e reabriu o comércio, as mortes voltaram a crescer, mas não estavam sendo registradas corretamente. Mesmo após a divulgação de casos de infecção de profissionais e alunos na rede de ensino pela imprensa, o governador manteve sua decisão e decretou o retorno das aulas presenciais do ensino fundamental no final de setembro.

“O Amazonas é referência hoje no combate a covid-19. Fomos o primeiro estado a liberar as aulas do ensino médio e amanhã, quarta-feira, dia 30 de setembro, nós estaremos retornando as aulas do ensino fundamental”, disse Wilson Lima.

O Ministério Público foi questionado sobre uma possível investigação, já que os dados divulgados pela FVS foram alvos de denúncia de investigadores e epidemiologistas e agora, a afirmação do erro no gráfico pela diretora-presidente da FVS. Até o fechamento desta reportagem, não houve respostas.

O que diz a FVS-AM

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), em nota, rebate a informação divulgada nesta segunda-feira (5), sobre possível erro de divulgação de dados de covid-19 no Amazonas. A FVS-AM informa que vem divulgando, diariamente, os indicadores da pandemia do novo coronavírus com transparência.

Após audiência com o Ministério Público do Amazonas, no dia 11 de setembro, a FVS-AM atendeu às solicitações feitas na reunião e realizou modificações na forma de apresentação dos dados de óbitos, registrados no estado, para melhor entendimento e interpretação das autoridades do Amazonas e a população em geral.

Sobre a suposta divergência apontada em audiência com o Ministério Público, no dia 11 de setembro, a FVS-AM informa que estavam sendo apresentados dois gráficos no boletim diário: um específico para óbitos registrados nas últimas 24 horas e outro para óbitos que estavam sem causa definida e que foram reclassificados para Covid-19 após revisão pelos técnicos da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa/Manaus).

Na ocasião a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, reconheceu a necessidade de tornar ainda mais clara e acessível para a população os dados de óbitos e, imediatamente, o boletim foi foi adequado, agregando em um mesmo gráfico os dois tipos de indicadores (óbitos nas últimas 24 horas e óbitos segundo data de ocorrência). O novo gráfico, que reúne todas essas informações, se encontra na página 3 do atual boletim diário de Covid-19 da FVS-AM.

Sobre o terceiro gráfico citado, a FVS-AM informa que o gráfico disponível no site da FVS-AM informa todos os óbitos por data de ocorrência, o que inclui os quatro óbitos ocorridos nas últimas 24 horas e dois óbitos que tiveram a confirmação para Covid-19 após 24 horas.

Sobre as testagens por RT-PCR, a FVS-AM informa que o Laboratório Central de Saúde Central (Lacen) dispõe de insumos necessários para a realização do exame e que processa todos as requisições médicas solicitadas pelo serviço de saúde, e da vigilância epidemiológica com base do protocolo do MS que define os critérios para casos suspeito de Covid-19.

Ainda em relação à negação de que Manaus esteja enfrentando segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus, a FVS-AM endossa o que pesquisadores da Fiocruz, como o Marcelo Gomes, coordenador do sistema InfoGripe, que afirma que “ainda é cedo para afirma que Manaus está cursando segunda onda de Covid-19”. Essa análise pode ser identificada na nota técnica da Fiocruz, divulgada no dia 30 de setembro.

Com relação a suposta subnotificação de 373 óbitos e demais divergências entre sistemas de informação, é importante salientar que as informações são de responsabilidade das secretarias municipais de saúde e posteriormente, os dados são consolidados e divulgados pela FVS-AM, o órgão relembra que todos os dados divulgados, pela instituição, são auditados pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) e Open Knowledge Brasil (OKBR) que não identificaram erro na divulgação dos dados. Inclusive, o Governo do Amazonas manteve a classificação ‘Alto’ e alcançou o primeiro lugar, entre os demais estados brasileiros, na avaliação do Índice de Transparência da Covid-19 divulgado pela OKBR no dia 21 de agosto. Em uma escala de zero a 100, o Amazonas atingiu a pontuação máxima em nível de transparência.

Anúncio