FVS divulga 1,206 casos confirmados do novo coronavírus no Amazonas

Atualização deste domingo (12) inclui nove mortes por Covid-19, totalizando 62 óbitos no Estado, além de 138 pacientes recuperados, fora do período de transmissão

Manaus – O Amazonas chegou a 1.206 casos confirmados do novo coronavírus. Os números foram confirmados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), durante coletiva de imprensa transmitida online, na tarde deste domingo (12). O aumento foi de 156 novos casos em 24 horas, e 9 mortes foram registradas, sendo seis na capital. O total de óbitos no Estado agora é de 62.

O número de pacientes que estão recuperados e fora do período de transmissão passou de 44 para 138.

(Foto: Reprodução)

De acordo com a FVS, entre as mortes investigadas, nove foram confirmadas tendo Covid-19 como causa, entre os quais estão dois indígenas dos municípios de São Paulo de Olivença e Tabatinga e um médico de Manaus. Um óbito foi registrado no município de Parintins, de uma mulher de 85 anos, que tinha hipertensão e cardiopatia, e morreu no dia 6 de abril.

Do total de casos de Covid-19 no Amazonas, 1.053 são na capital e 153 no interior do Estado. O maior número de casos está em Manacapuru (87), em seguida Iranduba (13), Itacoatiara (11), Parintins (11), Santo Antônio do Içá (7), São Paulo de Olivença (5), Tabatinga (4), Anori (3), Tonantins (3), Careiro da Várzea (2) e Presidente Figueiredo (2). Cinco municípios têm um caso cada: Boca do Acre, Careiro Castanho, Manicoré, Novo Airão e Tefé.

Atualmente, há 813 pessoas com diagnóstico positivo para Covid-19 que estão se recuperando em isolamento social, o que representa 67,41% do total. Entre os casos positivos do novo coronavírus, há 193 internados, sendo 111 em leitos clínicos e 82 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública (45) e da rede privada (37). Outros 406 pacientes suspeitos estão internados, e aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 351 estão em leitos clínicos (100 na rede privada e 251 na rede pública); e 55 estão em UTI (30 na rede privada e 25 na rede pública).

Em Manaus, os óbitos confirmados foram de um homem de 64 anos, que era médico, não tinha histórico de comorbidades e foi atendido em uma unidade de saúde privada; quatro homens, de 47, 48 e 71 anos, que também não tinham histórico de comorbidades; um de 83 anos sem histórico de comorbidade e que foi atendido na rede privada; e um homem de 45 anos, com histórico de obesidade e cardiopatia, que também foi atendido em uma unidade da rede privada.

Outros oito óbitos estão em investigação pela FVS-AM.