Mapeamento analisa situação de artistas do Amazonas durante período de pandemia

Iniciativa vai identificar o cenário atual da cadeia produtiva e nortear ações emergenciais para profissionais da área no período de isolamento social

Manaus – Teve início o mapeamento de representantes de diversos segmentos que compõem a cadeia produtiva da Cultura e da Economia Criativa no Amazonas, com a finalidade de identificar o perfil e a situação dos artistas, produtores culturais, técnicos e demais profissionais criativos do Estado, diante das medidas de enfrentamento e combate ao novo coronavírus (Covid-19). A iniciativa é do governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Diversos eventos artísticos no Estado foram cancelados e/ou adiados por causa da pandemia do novo coronavírus (Foto: Reprodução)

Para participar, os interessados devem responder a um formulário disponível no Portal da Cultura (https://cultura.am.gov.br) e preencher o cadastro com dados socioeconômicos, além de específicos, como qual segmento do qual faz parte, frequência que realiza as atividades e tempo de atuação na área.

O mapeamento vai mostrar o cenário atual da cadeia produtiva e nortear as ações emergenciais voltadas para profissionais da área no período de isolamento social. As demandas serão encaminhadas para a comissão técnica criada para avaliar as soluções cabíveis ao momento.

Marcos Apolo Muniz, secretário de Cultura e Economia Criativa, explica que a ação faz parte das medidas que a pasta vem adotando no período de isolamento social, a fim de apoiar os artistas e demais profissionais criativos do Estado.

“A cadeia produtiva da Cultura e da Economia Criativa é enorme, abrange diversos segmentos, e este mapeamento vai nos ajudar a entender quem mais precisa de apoio neste momento emergencial”, afirma Muniz. “Estamos trabalhando, desde o início desta crise, em parceria com diversos órgãos do governo do Amazonas e do governo federal, para encaminhar as demandas apresentadas pela classe e alinhar as possíveis soluções”.