Perto de colapso na saúde, Governo do AM fecha comércio e gera protestos

A partir do dia 26 de dezembro, só vão poder funcionar normalmente os serviços essenciais. A princípio o decreto deve durar até o dia 10 de janeiro

Manaus – O Governo do Amazonas divulgou na tarde desta quarta-feira (23) um novo decreto com medidas restritivas para tentar combater o avanço da Covid-19 no Estado, durante as festas de fim de ano. A partir do próximo sábado (26) só poderão funcionar normalmente os serviços essenciais. A princípio, o decreto deve durar até o dia 10 de janeiro.

O decreto foi determinado após a divulgação dos dados da doença em Manaus e no interior. Segundo o governo, 94% dos leitos clínicos e 99% das unidades de terapia intensiva (UTIs) estão ocupados.

A reunião para definição das medidas foi realizada na sede do governo, na zona oeste da capital, com os representantes dos poderes, órgãos de controle e setor produtivo. No local foram apresentados os dados epidemiológicos e de ocupação de leitos destinados a pacientes com Covid-19.

Decreto com medidas restritivas para tentar combater o avanço da Covid-19 no Estado entra em vigor no próximo sábado, 26 (Foto: Carlos Nascimento/GDC)

O governador do Amazonas, Wilson Lima, disse que os protocolos de segurança para evitar o contágio não estão sendo cumpridos e que a maioria dos casos registrados no Estado são de pessoas com idade entre 20 a 49 anos, de acordo com dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Ainda conforme a FVS, a maioria das mortes acontece entre pessoas com mais de 60 anos, o que corresponde a 73% do número de mortos. Segundo o governo, isso indica que muitos estão adquirindo o vírus e levando-o para dentro de casa, colocando em risco os pais, avós e outras pessoas da família que têm algum tipo de comorbidade.

Prazo

O governador do Amazonas disse que precisa de 15 dias para tentar diminuir a taxa de transmissão da doença. A partir do próximo sábado (26), até o dia 10 de janeiro, comércios e estabelecimentos que não são essenciais funcionarão por drive-thru (quando o cliente vai até o local retirar o produto) e delivery (serviço de entrega), até às 21h. Os shoppings também só funcionarão no sistema de entrega. Os eventos como casamentos e formaturas estão proibidos. Reuniões comemorativas estão suspensas. O horário para funcionamento de feiras e mercados ainda será estabelecido. As academias que atuam no tratamento de fisioterapia e igrejas, amparadas por lei para funcionarem com capacidade de 30%, vão poder funcionar. Os demais serviços só poderão funcionar se estiverem relacionados à atividade essencial.

“Os serviços essenciais são padarias, supermercados, farmácias, venda de gás e água, serviços de abastecimento de energia elétrica e outros. Os hotéis continuam abertos, mas os restaurantes dos hotéis vão atender apenas os hóspedes. Os espaços públicos do Estado do Amazonas, a partir do dia 26, estarão fechados. Serviços interestaduais serão mantidos, mas será reforçado o serviço de fiscalização, respeitando a capacidade máxima dessas embarcações. O funcionamento da indústria também será mantido”, ressaltou Wilson Lima.

blank

Wilson Lima disse que precisa de 15 dias para tentar diminuir a taxa de transmissão da doença no Estado (Foto: Reprodução / Facebook))

O decreto pretende impedir a realização de festas clandestinas, com apreensão de equipamentos de som e demais equipamentos que estiverem sendo usados para a promoção do evento. “Bebidas e outros assessórios, equipamentos e instrumentos que sejam utilizados para a realização dos eventos clandestinos. Todos devem ser recolhidos”, disse o governador.

***Matéria atualizada às 17h10***

Anúncio