Samel e pesquisador dos EUA estudam novo medicamento contra Covid em pacientes do AM

Profissionais buscam comprovar em 600 pacientes que o uso da medicação reduz a taxa de intubações graves

Manaus – A eficácia de um novo medicamento contra a Covid-19 está em estudo no grupo Samel em parceria com o pesquisador Dr. Andy Goren, da Califórnia, Estados Unidos. Trata-se do medicamento Proxalutamida, um antiandrogênio que ainda está em fase na última fase de pesquisas. Um estudo clínico, que foi autorizado pelo Governo Federal através do Comitê Geral de Pesquisa, está sendo realizado em outros países, em pacientes de Manaus e outros municípios. Ao todo serão reunidos 600 pacientes para a pesquisa.

Durante uma coletiva de imprensa, realizada na tarde desta terça-feira (9), o pesquisador divulgou os resultados preliminares do estudo clínico. O encontro também contou com a presença do Diretor do grupo Samel, Luiz Alberto Nicolau e o Diretor-Técnico da Samel, Daniel Fonseca, que intermediou a tradução para o pesquisador.

A coletiva contou com a presença do diretor do grupo Samel, Luiz Alberto Nicolau e o diretor-técnico, Daniel Fonseca, que intermediou a tradução para o pesquisador. (Foto: Jael Lucena)

A descoberta da possível eficácia do medicamento começou com uma pesquisa dermatológica que teve início em fevereiro de 2020 quando o grupo estudava Alopécia Androgenêtica, condição que causa a perda permanente de cabelo. O especialista e sua equipe perceberam que o androgênio (hormônio) tem relação com a Covid-19, pois o Sars Cov-2 só consegue entrar nas células através dos androgênios.

O pesquisador realiza o estudo para comprovar que o medicamento consegue impedir que o vírus entre nas células. “Essa é a nossa teoria que a droga consegue impedir a conversão do vírus“, disse o pesquisador. O estudo clínico, conduzido por Goren, juntamente com o grupo Samel, começou no dia 2 de fevereiro e vai analisar 600 pacientes.

O diretor do grupo Samel, Luiz Alberto Nicolau, afirmou que além de pacientes internados no hospital de Manaus, o estudo clínico também vai ‘recrutar’ pacientes internados em outros municípios do Amazonas devido ao número de infectados nestes locais. “Já reunimos por volta de 150 hospitalizados da Samel, estivemos em Itacoatiara e Parintins”, disse.

Segundo o Diretor-Técnico da Samel, Daniel Fonseca, o estudo já tem demonstrado resultados positivos. “Até o momento conseguimos comprovar que os pacientes que receberam essa medicação reduziram a taxa de intubação, reduziram marcadores inflamatórios e alguns pacientes já tiveram alta”, pontuou.