Agências do INSS podem fechar se não houver reajuste no orçamento

Segundo interlocutores, o ministro do MDS, Osmar Terra, alertou o Planejamento que há risco de fechamento de agências se o governo não liberar mais dinheiro

O MDS teve um corte de R$ 5,1bi para R$ 2,8bi, no começo deste ano (Foto: Reinaldo Okita)

Brasília – A falta de recursos orçamentários ameaça o funcionamento das agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O órgão teve corte de 40% na verba para este ano. Segundo interlocutores, o ministro do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, alertou o Ministério do Planejamento que há risco de fechamento de agências se o governo não liberar mais dinheiro, nas próximas semanas. O MDS teve um corte de R$ 5,1 bilhões para R$ 2,8 bilhões, no começo deste ano. De acordo com o senador Paulo Paim (PT-RS), a redução das agências em funcionamento foi a forma encontrada pelo governo para conseguir manter o funcionamento dos serviços prestados pelo INSS, com o corte de verbas que tem afetado diversos órgãos públicos.

Pelos dados do Orçamento, os recursos do Ministério da Agricultura, previstos anteriormente em R$ 2,7 bilhões, tiveram um corte de R$ 1,8 bilhão no segundo bimestre. Com isso, uma das áreas mais atingidas é a de fiscalização animal e vegetal.

“O governo aprovou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que congela os gastos públicos por 20 anos e o reflexo disso já começou. Sem investimento, diversos órgãos receberão menos verba e, com o INSS, não será diferente”, afirma o senador.

Se confirmado o plano de diminuir o atendimento nas agências, o órgão reduzirá as despesas de custeio e, segundo Paim, do lado mais negativo, dificultará o acesso dos segurados aos serviços, o que deve gerar mais economia com o menor pagamento de benefícios.

Anúncio