Amazonas gera 1,6 mil novas vagas de emprego

O Estado teve saldo positivo, em um mês de abril, desde 2011. As vagas a mais, entre as contratações e as demissões foram puxadas pelo setor de serviços, indústria, comércio e construção

Manaus – Desde 2011, o Amazonas não registrava saldo de empregos em um mês de abril, até que, neste abril de 2019, o Estado gerou 1,6 mil novas vagas formais, após a contratação de 11,7 mil pessoas e demissão de 10 mil. Os dados foram divulgados, ontem, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. No País, foi o melhor abril, desde 2013, com saldo de 129,6 mil empregos com registro em carteira.

O resultado, em nível nacional, também foi positivo com 129, 6 mil vagas (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)

O Amazonas acumula saldo, de janeiro a abril, de 2,6 mil empregos ante 44,2 mil contrações e 45,5 mil demissões, no quadrimestre. No acumulado dos últimos 12 meses, sobraram 8,8 mil vagas da diferença entre 139,9 mil pessoas contratadas e 131 mil trabalhadores demitidos.

Entre as atividades econômicas, o setor de serviços do Amazonas foi o destaque com a manutenção de 633 postos de trabalho, após registrar 4,5 mil contratações e 3,8 mil demissões no mês passado.

O mercado de serviços, superou a indústria de transformação que contratou 2,8 mil, mas demitiu 2,3 mil. Ainda assim, teve resultado positivo com 561 postos formais, em abril passado.

O comércio (251), construção civil (191) e agropecuária (11) também tiveram saldo de empregos, enquanto a administração pública perdeu 4 postos entre contratados e demitidos, no mês anterior.

Nacional
No Brasil, o saldo de 129.6 mil novas vagas de emprego com carteira assinada em abril é resultado de 1,3 milhão de admissões e 1,2 milhão de desligamentos.

Este foi o melhor resultado para abril desde 2013. Na época, o Caged registrou a criação de 196,9 mil vagas. O resultado de abril de 2019 está diretamente relacionado aos setores de serviços, indústria de transformação e construção civil, responsáveis pela maior parte da geração de empregos no mês. Segundo o governo federal, o saldo de emprego foi positivo nos oito setores econômicos.

Todas as regiões brasileiras criaram empregos com carteira assinada em abril. O Sudeste liderou a abertura de vagas, com 81.106 postos, seguido pelo Nordeste (15.593 vagas) e pelo Centro-Oeste (15.240 vagas), influenciado pela safra. O Sul criou 14.570 postos, e o Norte registrou 3.092 vagas a mais no mês passado.

Entre os Estados, 23 unidades da Federação geraram empregos e quatro demitiram mais do que contrataram. As maiores variações positivas ocorreram em São Paulo (50,1 mil postos), em Minas Gerais (22,3 mil), no Paraná (10,6 mil) e na Bahia (10 mil).

Anúncio