Amazonas registra 651 empregos com carteira assinada em outubro, divulga Caged

Apesar dessa alta de postos no mercado de trabalho, este foi o menor resultado dos últimos três anos para outubro

Manaus – O mercado de trabalho do Amazonas registrou a abertura de 651 empregos com carteira assinada, em outubro, pouco mais da metade somente na indústria, mês de alta produção do setor, para atender às encomendas de fim de ano. O País registrou o sétimo mês consecutivo de alta, com 70,8 mil novos postos, mais da metade no comércio. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O comércio do Amazonas abriu 434 vagas, em outubro, a maioria no segmento varejista (Foto: Marcello Casal/ABr)

Apesar da alta de 651 postos no Estado, este foi o menor resultado dos últimos três anos para outubro. Em igual mês do ano passado, o Caged apontou alta de 1.184 vagas, contra 2.605, de 2017. No acumulado dos dez meses do ano, foram criadas 13,2 mil vagas e no intervalo de 12 meses, o saldo é de 11,5 mil empregos formais.

No Amazonas, somente a indústria de transformação respondeu por 308 vagas, resultado do saldo positivo de 2.485 demissões contra 2.793 contratações, a maioria no segmento de material elétrico e de comunicações, com 186 postos, que produzem, entre outros itens, televisores e telefones celulares.

Já o comércio do Amazonas abriu 434 vagas, em outubro, a maioria no segmento varejista. Situação inversa ocorreu no setor da construção civil, que perdeu 434 vagas, resultado da contratação de 1.069 trabalhadores e a demissão de 1.301 pessoas com carteira assinada.

Outra retração ocorreu no setor de serviços, com a perda de 114 postos, em outubro, influenciado pelos segmentos de hotelaria, alimentação, reparação e manutenção. Empregador intensivo de mão de obra, foi o setor que mais contratou, com 4.682 vagas, mas registrou o maior volume de desligamentos, com 4.796 demissões.

No País, as cinco regiões tiveram saldo positivo em outubro, que resultou no saldo positivo de 70,8 mil novos postos, com destaque para o Sul, com a geração de 27.304 novas vagas. Nordeste teve 21.776; Sudeste, 15.980; Norte, 4.315; e Centro-Oeste, 1.477.

O saldo de outubro decorre de 1,365 milhão de admissões e 1,294 milhão de demissões. Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2017, quando foram criadas 76.599 vagas no décimo mês do ano. Em outubro do ano passado, houve abertura líquida de 57.733 vagas, na série sem ajustes.

O resultado do mês foi puxado pelo comércio, que gerou 43.972 postos formais, seguido pelo setor de serviços, que abriu 19.123 vagas de trabalho. Também tiveram saldo positivo no mês a indústria (8.946 postos), a construção civil (7.294 postos) e a extração mineral (344 postos).

Em sentido contrário, a agropecuária fechou 7.819 vagas em outubro, enquanto os serviços industriais de utilidade pública tiveram fechamento líquido de 581 vagas no mês. A administração pública também encerrou 427 vagas.

Anúncio