Amazonas tem saldo de 2,7 mil empregos formais em outubro de 2023

Manaus, puxou a fila do saldo de empregos formais em outubro de 2023. Foram 2.282, resultado de 18.358 contratações e 16.076 demissões

Manaus – O estado do Amazonas teve um saldo de 2.733 vagas de emprego formais em outubro de 2023. O número é resultado de 20,1 mil admissões e 17,3 mil desligamentos. Os dados são do Novo Caged e foram divulgados nesta terça-feira ( 28), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Desde o início do ano, são 23,1 mil vagas com carteira assinada geradas no estado. O estoque, ou seja, o número total de pessoas trabalhando com carteira assinada no estado, chegou a 497,2 mil.

Infográfico 1 – Dados do Novo Caged sobre geração de empregos em outubro de 2023 / (Foto: MTE)

No estado a distribuição de novas vagas por sexo é equilibrada, sendo 1.684 para homens e 1.049 para mulheres. Amazonenses com ensino médio completo são os que mais conquistaram novas vagas com carteira em outubro: 2.144. Jovens entre 18 e 24 anos também são o grupo com maior saldo de vagas: 1.902.

Levando em conta os cinco setores econômicos avaliados pelo Novo Caged, o saldo no Amazonas foi positivo em todos. O Comércio foi o setor que teve atividade mais intensa, com 1.049 vagas de saldo, a partir de 5.522 admissões e 4.473 desligamentos. O estoque de pessoas trabalhando nesse setor chegou a 111.996. Na sequência aparecem Construção (+641), Serviços (+529), Indústria (+463) e Agropecuária (+51).

A capital do estado, Manaus, puxou a fila do saldo de empregos formais em outubro de 2023. Foram 2.282, resultado de 18.358 contratações e 16.076 demissões. Na sequência dos cinco municípios com melhor saldo aparecem Silves (+163), Presidente Figueiredo (+106), Iranduba (+83) e Manacapuru (+57).

Nacional

O Brasil fechou outubro de 2023 com um saldo de 190.366 vagas formais de trabalho. No período, houve 1,94 milhão de admissões e 1,75 milhão de desligamentos. São mais de 30 mil empregos a mais do que os gerados em outubro de 2022. Desde o início do ano, o país acumula saldo de quase 1,8 milhão de empregos formais. A variação em dez meses é positiva nos cinco grandes setores da economia e nas 27 unidades da Federação.

Os dados do Novo Caged indicam também que o estoque total, ou seja, o número de brasileiros que estavam trabalhando com carteira assinada em outubro de 2023, chegou a 44,22 milhões, o maior já registrado na série histórica levando em conta tanto o período do Caged (junho de 2002 a 2019) quanto do Novo Caged (a partir de 2020). Em outubro, a variação foi positiva em quatro dos cinco setores e em 26 das 27 unidades federativas.

Outros destaques

→ O maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor de Serviços, com saldo de 109.939 postos formais de trabalho. Destacam-se áreas como informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (saldo de +65.128).

→ O segundo maior gerador de postos de trabalho foi o Comércio, com +49.647 postos de trabalho. Destacam-se o Comércio Varejista de Mercadorias em Geral, com Predominância de Produtos Alimentícios – Supermercados (+6.307) e Hipermercados (+1.925), além de Artigos de Vestuário (+5.026).

→ O terceiro maior crescimento ocorreu na Indústria, com saldo de +20.954 postos de trabalho. Destacam-se a fabricação de açúcar em bruto, com saldo de +1.500, especialmente em Alagoas (+1.268), e a fabricação de móveis, com saldo de +1.330.

→ A Construção Civil teve saldo de +11.480 postos formais. A Construção de Edifícios teve saldo de +3.652.

→ A Agropecuária foi o único setor que gerou saldo negativo (-1.656), decorrente da desmobilização do café (-2.850), do cultivo de alho (-1.677), de batata-inglesa (-1.233) e de cebola (-1.138), que superaram o aumento na Produção de Sementes (+4.088).

Grupos Populacionais

O saldo foi positivo para mulheres (+90.696) e homens (+99.671). No que se refere às pessoas com deficiência, foram +1.699 postos de trabalho. A relação foi positiva também para pardos (+110.240), brancos (+64.660), pretos (+22.300), amarelos (+15.395) e indígenas (+652).

Faixa Etária

Desagregado por faixa etária, o saldo foi de (+20.111) para jovens até 17 anos, (+115.732) para 18 a 24 anos; (+24.139) para 25 até 29 anos; (+21.387) para 30 a 39 anos; (+17.238) para 40 a 49 anos; (-3.307) para 50 a 64 anos.

Anúncio