ANS suspende venda de planos de saúde da Unimed por reclamações e falha no atendimento

Os 70,1 mil beneficiários dos planos suspensos da operadora estão protegidos com a medida e continuam a ter assistência regular, informou a agência

Manaus – A venda de quatro planos de saúde da Unimed Manaus foi suspensa nesta quinta-feira (30) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), junto com outras  nove operadoras do País. Os 70,1 mil beneficiários dos  planos suspensos da operadora estão protegidos com a medida e continuam a ter assistência regular, informou a agência. Em nota, a Unimed reiterou “o compromisso de prestar serviços de qualidade aos seus beneficiários”.

A medida entrará em vigor no próximo dia 8 de dezembro (Foto: Acervo DA)

A medida foi em função de reclamações relativas à cobertura assistencial, como demora e até falta de atendimento registrados no terceiro trimestre pela agência reguladora.

A medida faz parte do acompanhamento periódico realizado pela ANS pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento. A medida entrará em vigor no próximo dia 8 de dezembro.

A diretora de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS, Karla Coelho, explica que o Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento tem como objetivo garantir uma assistência mais qualificada aos beneficiários de planos de saúde. “A medida é um incentivo para que as empresas ofereçam aos seus clientes melhores serviços. Para isso, a ANS monitora as reclamações registradas pelos beneficiários e, a cada três meses, identifica as operadoras e planos com maior número de reclamações assistenciais, tendo em conta o número de beneficiários e a segmentação assistencial”, disse.

Os produtos afetados só podem voltar a ser comercializados para novos clientes se comprovarem a melhoria no atendimento. Neste ciclo, estão sendo reativados 27 planos de saúde de sete operadoras.

No 3º trimestre de 2017, , a ANS recebeu 15.912 reclamações de natureza assistencial através de seus canais de atendimento. Desse total, 14.138 queixas foram consideradas para análise pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento. Foram excluídas as reclamações de operadoras que estão em portabilidade de carências, liquidação extrajudicial ou em processo de alienação de carteira, cujos planos não podem ser comercializados em razão do processo de saída ordenada da empresa do mercado. No período, 92% das queixas foram resolvidas pela mediação feita pela ANS via Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), o que garantiu a solução do problema a esses consumidores com agilidade.

“A suspensão da comercialização de planos é um dos resultados do intenso trabalho de fiscalização da ANS. O trabalho realizado permite que o consumidor nos procure por qualquer de nossos canais de atendimento e tenha seu problema resolvido de forma ágil”, destaca a diretora-adjunta de Fiscalização, Flávia La Laina. “O índice de resolução das intermediações feitas pela fiscalização atingiu 92% das demandas do período. Os casos não resolvidos viram processos contra as operadoras e também são contabilizados para a suspensão da comercialização, mais uma medida para proteger o consumidor”, disse.

Em nota, a operadora informou:

“A Unimed Manaus recebeu a informação pelo site da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), da decisão de suspender a comercialização de alguns dos produtos do plano de saúde e já trabalha nas melhorias dos itens registrados pelo órgão. A Unimed Manaus esclarece que a decisão da ANS não afeta os beneficiários que possuem os planos de saúde da empresa, que continuam contando com os serviços de toda a rede hospitalar e ambulatorial.
A direção da Unimed Manaus reitera o compromisso em prestar serviços de qualidade aos seus beneficiários”.

blank

blank

Fonte: ANS

 

Anúncio