Bons resultados da agricultura brasileira podem estimular produtor rural 

Ao todo, foram registrados a soma de US$ 10 bilhões no último mês, alta de 11,7% em relação ao valor exportado no mesmo período de 2019  

Manaus – O mês de julho foi marcado por notícias boas para o setor agrícola nacional. Isso porque, além dos números animadores relacionados ao crédito rural liberado na safra 2014/2015, que bateu recorde, as vendas externas do agronegócio em julho representaram 51,2% no valor total exportado pelo país.

Ao todo, foram registrados a soma de US$ 10 bilhões no último mês, alta de 11,7% em relação ao valor exportado no mesmo período de 2019. Em uma análise unificada com o estimulo ao crédito é possível que alguns produtores rurais optem por realizar um investimento no próprio negócio. Afinal, adquirir implementos agrícolas em um cenário que fornece condições para custeio e comercialização do trabalho no campo parece ser uma escolha assertiva.

Outro dado que pode despertar o otimismo para o trabalhador rural, é o fato de que as contratações para o médio produtor, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), atingiram R$ 11,8 bilhões em recursos para custeio. Ou seja, a possibilidade de contratações de mão de obra qualificada, que devem ser revertidas em maior produção, não para de crescer.

Contratações para o médio produtor, por meio do Pronamp, atingiram R$ 11,8 bilhões em recursos para custeio (Foto: Divulgação)

Nesse contexto, buscar por maquinários agrícolas, como tratores a venda no Paranápor exemplo, que é o segundo maior produtor de grãos no Brasil, pode ser a melhor alternativa. Isso se justifica porque foram os grãos que exerceram um papel crucial nessa dinâmica econômica nacional. Entre os itens de exportação agropecuária registraram considerável aumento de volume comercializado a soja em grão com aumento de 39,4%, o açúcar (+92,3%), celulose (+35,1%), algodão (+64,4%), carne suína (+45,0%) e carne bovina (+20,9%).

Vale destacar que as exportações de soja em grão, que tiveram a China como principal país importador, chegaram a 10,4 milhões de toneladas no mês passado, gerando US$ 3,61 bilhões em receitas para o Brasil. Além disso, as vendas externas de açúcar também subiram de US$ 526 milhões em julho de 2019 para US$ 964 milhões em julho deste ano. Um incremento de 83,4% no período em análise.