Codam avalia projetos no valor de R$ 782 milhões nesta quarta-feira

Pauta relaciona 37 projetos industriais estimados em R$ 782 milhões, com geração de 1.005 vagas no mercado de trabalho, no período de até três anos

Manaus – O Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) reúne-se, nesta quarta-feira (19), pela primeira vez neste ano, para deliberar sobre uma pauta que relaciona 37 projetos industriais estimados em R$ 782 milhões, com geração de 1.005 vagas no mercado de trabalho, no período de até três anos. A 284ª Reunião do Conselho acontecerá às 10h, no auditório da Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), na Avenida Joaquim Nabuco, 1.919, Centro, zona sul de Manaus.

Último encontro do Codam aconteceu em dezembro de 2019 (Foto: Layana Rios/Suframa/Divulgação)

A pauta da 284ª Reunião do Codam está disponível, na íntegra, em www.sedecti.am.gov.br. Do total de 37 projetos submetidos à análise técnica da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência Tecnologia e Inovação (Sedecti), 28 são de bens finais e 9 para a produção de componentes.

Os destaques são os projetos da Tec Toy para a fabricação de telefone celular combinado ou não com outras tecnologias, com investimentos de R$ 107 milhões e mão de obra de 151 pessoas.

A Magnum da Amazônia pretende aplicar R$ 57 milhões para produzir relógios Smartwatch, e a Boardtec do Brasil espera autorização para fabricar componentes com recursos de R$ 31 milhões.

Balanço

O último encontro do Codam aconteceu em dezembro de 2019, totalizando seis reuniões, nas quais foram aprovados 197 projetos industriais que somaram recursos na faixa de R$ 5.705 bilhões. A previsão é de abertura de 7.522 vagas no mercado de trabalho a partir da implantação dos projetos, um período estimado em até três anos.

Uma tendência detectada no Codam, no ano passado, foram os projetos para novos segmentos promissores da indústria, como a produção de equipamentos e sistemas para energia fotovoltaica, e o de veículos elétricos (e-mobility), bicicletas, patinete e motonetas.

Outros destaques foram os projetos voltados às cidades do interior, como Manacapuru, Tefé e Iranduba, para a produção de açúcar mascavo, ração, sorvete de açaí e beneficiamento de castanha, que somaram cerca de R$ 11 milhões.