Codam delibera 37 projetos industriais, estimados no valor de R$ 782 milhões

Primeira reunião do Conselho neste ano aconteceu nesta quarta-feira (19) e também discutiu estudos e estratégias de prevenção ao novo coronavírus

Manaus – A 284ª Reunião Ordinária do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) aconteceu na manhã desta quarta-feira (19), no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), localizada na Avenida Joaquim Nabuco, Centro. A primeira reunião deste ano relaciona 37 projetos industriais, submetidos à análise técnica da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência Tecnologia e Inovação (Sedecti), estimados no valor de R$ 782 milhões, com geração de 1.005 mil vagas no mercado de trabalho, no período de até três anos. Do total, 28 projetos são de bens finais e 9 para a produção de componentes.

Em sua 284ª edição, a Reunião Ordinária do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) aconteceu no auditório da Fieam (Foto: Layena Magalhães/Divulgação)

A previsão é de 7.522 vagas no mercado de trabalho a partir da implantação dos projetos, um período estimado em até três anos. De acordo com a Sedecti, o projeto em destaque está à indústria para a fabricação de telefone celular combinado ou não com outras tecnologias, com mão de obra de 151 pessoas e investimentos no valor de R$ 107 milhões.

Outro assunto em destaque, durante a reunião, foram os estudos e as estratégias de prevenção ao novo coronavírus, tema presidido pela diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Rosemary Costa. “Em primeiro lugar é importante passar tranquilidade para o Polo Industrial de Manaus, no sentido de que, até o momento, nós não temos nenhum caso positivo do vírus, nem no País e nem no Estado. Entretanto, é necessário que todos fiquem em alerta para sinais e sintomas, principalmente de pessoas procedentes da área de risco ou pessoas que tenham tido contato muito próximo com pacientes sintomáticos que estiveram na zona de perigo”, disse Rosemary.

Ainda conforme a diretora da FVS-AM, o governo do Estado instituiu um grupo interinstitucional, composto por representantes de toda a área de saúde, que de forma conjunta elaboraram dentro de suas responsabilidades um plano de contingência. Casos de pessoas com sintomas relacionados ao coronavírus serão atendidos no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na zona norte.

Segundo Wilson Périco, presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), o novo vírus influencia no Polo Industrial de Manaus. A região onde o vírus foi detectado é responsável por 50,2% do Produto Interno Bruto (PIB). “No local onde o vírus foi detectado se concentram os grandes fabricantes, não só de produtos eletroeletrônicos, como de componentes que abastecem o mundo todo e o nosso parque industrial”, disse.

Ainda conforme Périco, os setores que mais causam impacto na economia do Amazonas são o de eletroeletrônicos e o de duas rodas. Ele destacou também a alta do dólar, que favorece o custo salarial no Brasil. “Temos, sim, condições de administrar o mercado e toda a nossa atividade industrial”.

Wilson Périco demonstrou satisfação com relação ao indicativo econômico, comparado ao do ano passado. “Quanto maior o faturamento do Polo Industrial, maior também a arrecadação do governo federal em tributos, e isso tudo são indícios de que o modelo de desenvolvimento enriquece e é importante para o País”.

Anúncio