Comércio de Manaus começa a sentir ‘impacto’ da derrota do Brasil na Copa

No Centro da cidade, lojas com roupas e acessórios nas cores da Seleção Brasileira já começam a ter redução de preço e serem retirados das vitrines

Manaus – O comércio na capital do Amazonas já começa a sentir o ‘impacto’ da eliminação da Seleção Brasileira da Copa do Mundo 2018. Neste sábado (7), inúmeras lojas da Rua Marechal Deodoro, no Centro, já ajustaram os valores de peças de vestuário e acessórios. Agora, camisas que antes custavam R$ 20 podem ser adquiridas por R$ 15 e brincos nas cores verde e amarelo estão indo direto para o estoque.

Segundo a operadora de caixa da loja Ponto Mix, Paula Sandy, 26, nos dias que antecederam os jogos da Copa, houve uma grande procura por camisas verdes e azuis que não possuem tanta saída no mercado. “Na nossa loja contamos ainda com uma camisa similar a do Brasil com o número 10, do jogador Neymar”, explicou.

Ela destacou, também, que houve um crescimento por peças femininas como ‘bodies’ e blusinhas verdes e amarelas. “As vendas foram muito positivas, principalmente no sábado que antecedeu o primeiro jogo do Brasil. Os valores das peças variavam entre R$ 15 a R$ 30. A camisa da Seleção custava R$ 20 e agora está sendo vendida por R$ 15, depois da derrota. Já deu uma ‘baixadinha’”, disse ela.

Paula revelou que, nesta sexta-feira (6), a loja registrou venda de algumas peças e neste sábado somente uma camisa foi vendida. “A tendência ainda é baixar o valor e o nosso estoque conta com umas 200 peças. Aceitamos todos os tipos de cartões e vendemos no crédito e também no débito”, salientou.

Francisca Sampaio, que atua como vendedora ambulante há 35 anos, investiu nesta Copa em conjuntos para crianças e camisetas masculinas e femininas. “Adquiri muitas peças, vendi cerca de 200 delas, mas graças a Deus estou satisfeita com o resultado. Agora, com a derrota do Brasil, estou fazendo umas promoções. O que era R$ 15 está custando R$ 10, R$ 5, para não perdemos esse dinheiro”, disse.

Na loja Oriental Bijuterias, também na rua Marechal Deodoro, os acessórios femininos como brincos, colares e tiaras, por exemplo, estão voltando para o estoque. De acordo com uma vendedora que não quis se identificar, as peças estavam sendo vendidas entre R$ 4 e R$ 7. “Neste sábado já vimos que teve pouco saída dos produtos nas cores da bandeira do Brasil. A venda boa mesmo aconteceu no período pré-Copa”, falou.

Erenilce Queiroz, 51, gerente da loja Asya Fashion, salientou que mesmo com a derrota da Seleção Brasileira, o consumidor continua procurando pelas peças de vestuário. “Já vendemos, mas também tiramos a maioria delas da exposição, deixamos somente algumas. No início da Copa vendemos bastante e nas vésperas dos jogos também”.

No local, os preços ainda não tiveram reajuste. As camisas similares usadas pelos jogadores seguem custando R$ 69, tanto para homens quanto para mulheres. Erenilce contou que isso se deve aos turistas que sempre frequentam o Centro. “Para eles isso é indiferente”, explicou.

A enfermeira Isabel Couto, 55 não deixou a eliminação do Brasil atrapalhar suas compras. A filha dela está de malas prontas para Itália e não abriu mão de levar peças com a bandeira do País para presentear os familiares. “Ela está indo para a Itália e a tia dela pediu uma camisa do Brasil que estava no auge e qualquer peça para a filha dela que está com seis anos”, contou.

Porém, Isabel não perdeu a oportunidade de brincar com a situação. “Mas é só por esse motivo que estou comprando. Até perguntei: Você não prefere algo da Bélgica? Mas elas ainda quiseram do Brasil”, finalizou.

Anúncio