Consumidor quer gastar R$ 125 com item escolar em média

Fecomércio apurou, em dezembro, intenções de gastos dos consumidores de Manaus para janeiro. A maioria está pessimista quanto a economia

Manaus – O Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Amazonas (Ifpeam) realizou no mês de dezembro de 2019 a pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor para o mês de janeiro de 2020 na Cidade de Manaus. Foi indagado ao consumidor se ele pretende comprar algo específico para o período escolar no mês de janeiro, onde 87,0% responderam afirmativamente, no entanto, observou-se que 92,5% indagaram que ainda estão pesquisando. Quando indagados em relação a quanto pretendem gastar no período escolar, constatou-se que 41,7% relataram entre R$ 51 a R$ 100, com valor mediano de R$ 125,00.

Mais da metade dos entrevistados não vê mudanças na economia nos próximos seis meses (Foto: Eraldo Lopes/Arquivo-GDC)

Os consumidores continuam com suas intenções de compra para os bens de consumo de natureza pessoal. Com destaque para a compra de celulares (15,5%), artigos de informática (13,0%), veículos (6,8%), vestuário (6,3%), calçados (6,0%), cine, foto e som (5,5%), instrumentos musicais, CD, e fitas (5,3%), artigos desportivos (0,8%) e tecidos (0,8%).

Quanto à expectativa econômica do consumidor, observou-se que 36,3% acreditam que a economia do Amazonas para os próximos seis meses estará um pouco ou muito pior, sendo que 56,0% consideram que permanecerá inalterada, no entanto, observou-se que 7,7% relataram que estará melhor.

Em relação à oportunidade de emprego em Manaus, comparada ao mesmo período do ano passado, constatou-se que 94,0% dos entrevistados relataram estar um pouco ou muito mais difícil conseguir um emprego, no entanto, apesar do alto índice de pessimismo, observou-se que 4,2% dos entrevistados acreditam que conseguir um novo emprego permanece um pouco ou muito mais fácil. Já na opinião de 1,8% dos consumidores entrevistados as chances de recolocar-se no mercado de trabalho permanecem inalteradas.

Quando indagados sobre as oportunidades de emprego para os próximos três meses, os consumidores continuam pessimistas, pois 94,8% acreditam que arranjar um novo emprego estará um pouco ou muito mais difícil em relação a situação atual.

Anúncio