Consumo no AM nas classes C e D fica estável após um mês anterior de queda

Com – 61%, o setor de automóveis e veículos foi o que mais teve queda

Manaus – Após um mês de fevereiro no qual o Amazonas observou uma queda acentuada de 8,1% no consumo das classes C e D, o Estado apresentou um cenário praticamente estável em março, em relação ao mês anterior, com 0,2% de avanço positivo. Os dados são da Pesquisa de Hábitos de Consumo da Superdigital, fintech do Grupo Santander focada em inclusão econômica.

O setor de automóveis e veículos foi o que mais teve queda (Foto: Arquivo/ABr)

Os destaques de alta foram os setores Prestadores de Serviços (112%), Rede Online (19%), Combustível (18%), Transporte (12%), Drogaria/Farmácia (6%), Serviços (5%), Telecomunicação (3%) e Lojas de Roupas (2%). Já as quedas ficaram por conta dos setores de Automóveis e Veículos (-61%), Diversão e Entretenimento (-39%), Hotéis e Motéis (-28%), Restaurante (-2%), Lojas de Artigos Diversos (-2%) e Companhias Aéreas (-2%).

Brasil

O cenário no Amazonas foi um pouco diferente do observado no Brasil. Segundo o levantamento, os setores que mostraram recuperação mais significativa no País nesse período foram Companhias Aéreas (11%), Rede Online (11%), Automóveis e Veículos (10%), Combustível (7%), Serviços (7%) e Transportes (4%). Na contramão, setores como Diversão e Entretenimento e Telecomunicações recuaram, 9% e 2% respectivamente. No balanço geral, o consumo subiu 1%.

Exceto o Sul do Brasil, que mostrou um recuo no consumo das classes C e D (-2,4%), todas as regiões registraram altas, puxadas pelo Centro-Oeste (6,4%), seguido do Nordeste (1,5%); Sudeste (1,4%) e Norte (1,3%).

“Certamente o que impactou os gastos com companhias aéreas foi a alta sofrida nos preços das passagens, decorrente do aumento no valor dos combustíveis. Prova disso é que o próprio gasto com combustível das classes C e D também cresceu. Os preços das passagens aéreas de voos domésticos no Brasil subiram até 40% em março, de acordo com dados de plataformas de emissão de passagens, e a maioria dos bilhetes emitidos pelas classes D e C são para voos domésticos”, explica Luciana Godoy, CEO da Superdigital no Brasil.

O levantamento mostra também que o principal gasto do orçamento das famílias é com Supermercados (37%), seguido de Restaurantes (13%) e Lojas de Artigos Diversos (10%). Em março, 86% dos gastos foram feitos presencialmente, o que representa um ponto percentual a menos em comparação a fevereiro.

A Pesquisa de Hábitos de Consumo da Classes C e D da Superdigital apontou aumento significativo no ticket médio dos gastos com Companhias Aéreas. Além disso, o ticket médio com Automóveis e Veículos, Rede Online, Lojas de Roupas, Combustíveis e Transportes também aumentou.

Para acessar os dados completos da pesquisa, acesso o link aqui.

Anúncio