Copa, Black Friday e Natal devem injetar mais de R$ 20 bi na economia

Bens duráveis, vestuário, maquiagem, alimentação, bares e restaurantes devem ser os mais impactados pelos eventos

São Paulo – Eventos esporádicos acontecerão perto de datas importantes para o comércio em 2022. No fim do ano, além do Natal e da Black Friday, dias que tradicionalmente movimentam a economia, haverá a Copa do Mundo, em novembro. Essas datas comemorativas devem aumentar as vendas em 12%, em comparação às do primeiro semestre, segundo dados da Associação Brasileira do Varejo (ABV), além de injetar mais de R$ 20 bilhões na economia.

(Foto: Edu Garcia – R7)

A proximidade entre o início da Copa do Mundo e a Black Friday, que acontece em 25 de novembro, somente cinco dias depois de o evento esportivo começar, deve impulsionar ainda mais as vendas.

Segundo o professor de empreendedorismo e marketing da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) Artur Motta, especialista em varejo, a melhora no cenário econômico também vai favorecer o comércio.

“A redução do preço dos combustíveis, o aumento da empregabilidade e a queda da inflação são fatores que podem ajudar nesse movimento no fim de ano e alavancar as vendas”, afirma Motta.

A Copa do Mundo vai acontecer, excepcionalmente, entre os dias 20 de novembro e 18 de dezembro, por conta das altas temperaturas no Catar em julho, país-sede do evento.

“O mundial é uma paixão nacional e envolve uma grande mobilização popular, mas a aquecida no consumo é marginal quando se compara ao Natal e à Black Friday, porque os jogos acontecem em um momento específico”, explicou Motta.

A expectativa é que, com a Copa do Mundo, 60 milhões de pessoas gastem no comércio ou contratem serviços para acompanhar o evento esportivo, e R$ 20,3 bilhões devem ser injetados na economia brasileira.

A estimativa é do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Já a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) espera um crescimento de 7,9% em relação ao faturamento de 2014, ano em que o Brasil foi sede da Copa.

Os eletromésticos também costumam registrar aumento nas vendas, principalmente de televisores, home theaters e cervejeiras. A área de alimentação é outro setor beneficiado.

A economia sente ainda os efeitos de quem investe em passagens e faz compras para se preparar para viajar e ver os jogos ao vivo.

A movimentação na economia começou com o álbum de figurinhas, que é vendido cerca de três meses antes do evento e marca o início da preparação para a data.

Supermercados aumentam expectativas

Com a proximidade da Black Friday, da Copa do Mundo e das festas de fim de ano, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) reviu a projeção de crescimento para o segundo semestre. Para dezembro de 2022, o setor estima um crescimento de 3,3%, e não mais de 3%.

Anúncio