Covid limita em 2,5 mil as vagas de fim de ano

Para a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus), a oferta de postos temporários será a metade da média dos outros anos, em decorrência da pandemia do coronavírus

Manaus  – As contratações de temporários para o período de fim de ano serão metade da média dos anos anteriores, conforme estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus), que espera a oferta de apenas 2,5 mil vagas. Para a entidade, a redução das oportunidades é resultado das medidas de segurança para conter a pandemia, que limitam aglomerações entre funcionários e clientes no espaço das lojas e as vendas são afetadas.

De acordo com o presidente da CDL Manaus, Ralph Assayag, as promoções neste período terão de ser suspensas para respeitar as ordens da Ordem Mundial de Saúde (OMS). Segundo o dirigente, a entrada e saída nas lojas serão controlados, e essas novas práticas devem iniciar a partir de agora para que sejam mantidas como um hábito até a chegada do Black Friday.

“Nós vamos, inclusive, aprender a fazer isso. Vai ser muito duro, você está na loja querendo vender, e dizer ‘você não pode entrar, porque tem um número máximo de pessoas, e isso nós temos que fazer logo, porque nós vamos ter o Black Friday, e se nós aglomerarmos vamos ter um problema no mês de dezembro, que vai ser Natal, e terão duros decretos contra a gente”, disse. Para o dirigente, há consenso entre alguns shoppings que não terão o Black Friday, mas manterão as vendas de modo virtual, por exemplo.

O Varejo deve se adequar a nova realidade de conteção de clientes nas portas dos estabelecimentos comerciais para evitar aglomerações (Foto: Divulgação/Amazonas Shopping)

Em uma loja de artigos de decoração, localizada na Rua Marechal Deodoro, Centro, as contratações iniciaram em setembro deste ano, durante o período do mês das crianças, para reforçar o atendimento ao cliente. A gerente do empreendimento, Gisele Castro, 38, explicaou que foi surpreendida desde a reabertura das lojas em junho. Segundo ela, a procura o fluxo de clientes teve um aumento, o que colaborou para a abertura de novas vagas.

O presidente da CDL Manaus ressalta que apesar da expectativa de contratações serem grandes, tanto para os lojistas, quanto para os candidatos, esse não será o cenário recomendado e nem permito devido à falta de espaço para ambos transitarem no local, por isso uma das estratégias da categoria é que entorno de até sete lojas inaugurem até dezembro, para suprir o espaço recomendado.

“Se eu tenho uma loja que tem 100 metros quadrados e eu tenho 12 funcionários, eu coloco mais cinco, eu já comecei a aglomerar dentro da loja, então dificilmente vai ter alguém. O que a gente está trabalhando muito forte é para a abertura de novas lojas, disse Assayag.

No País, a oferta de vagas no Natal é a menor em cinco anos

A a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) já havia previsto que a crise provocada pelo novo coronavírus deve fazer com que a oferta de vagas temporárias para o Natal seja a menor desde 2015, de acordo com a entidade, 70,7 mil trabalhadores temporários serão contratados neste fim de ano para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 19,7% menor do que o registrado em 2019 (88 mil). O Natal é a principal data comemorativa do varejo e deve movimentar R$ 37,5 bilhões em 2020 – 2,2% a mais do que no ano passado.

Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, mesmo impulsionado pelo e-commerce, o varejo ainda sente os efeitos das condições de consumo em meio à pandemia. “A intensificação de ações de vendas on-line pelos comerciantes tem ajudado na recuperação gradual do varejo nos últimos meses e também será um dos impulsionadores das vendas para o Natal. Porém, apesar de o comércio eletrônico ter crescido bastante, as vendas em shopping centers vêm registrando retrações, e isso impacta diretamente o número de temporários contratados, em especial os vendedores”, afirmou Tadros.

Todas as unidades da Federação devem apresentar menos oportunidades: São Paulo (17,9 mil), Minas Gerais (8,33 mil), Rio de Janeiro (6,92 mil) e Rio Grande do Sul (6,02 mil vagas).

Anúncio