Cresce a procura por aplicativos de apostas no Amazonas

A febre entre amazonenses reflete a expansão do setor desde sua legalização em 2018

Manaus – A aposta esportiva é um dos setores que mais cresce no mundo. Nem mesmo a pandemia da Covid-19 abalou a expansão desse mercado. No Brasil, a atividade movimentou cerca de R$7 bilhões em 2020 e a projeção é que gere mais de R$12 bilhões em 2023. O avanço do setor se intensificou após a sanção da lei número 13.756 pelo ex-presidente Temer em 2018, que autorizou a aposta esportiva em território nacional. Nesse cenário, novas casas de apostas passaram a operar no Brasil. Buscando se adaptar ao mercado nacional, elas oferecem, dentre outras coisas, atendimento ao usuário em português, pagamento por Pix e aplicativos de apostas.

(Foto: Getty Images)

“No Brasil, a procura por aplicativos de apostas cresce a cada ano justamente porque o brasileiro prefere apostar pelo celular do que pelo computador”, conta a especialista em aplicativos de apostas, Débora Dias. Débora é jornalista e gerente de conteúdo do AplicativosdeApostas.com, site que avalia casas de apostas com app. “A tendência observada no Amazonas reflete a característica de consumo do restante do Brasil. Os amazonenses veem nos aplicativos de apostas mais praticidade e agilidade na hora de acompanhar as cotações e apostar”, ressalta Débora.

Dentre os esportes que os amazonenses mais gostam de apostar é o futebol. Apesar do estado não ter um time de futebol com expressão nacional, clubes tradicionais como Corinthians e Flamengo têm enorme torcida no Amazonas. Como é o caso de Juan Manuel, torcedor do Timão e apostador iniciante. “Eu sempre acompanhei futebol, sou Corinthiano porque meu pai e meu avô também são. Comecei a apostar justamente porque vi anúncios das casas de apostas durante os jogos”, contou o morador de Ponta Negra, em Manaus.

Sobre as diferenças de se apostar pelo site ou pelo app de apostas, Juan Manuel exemplifica: “o grande problema de apostar pelo site é que o navegador precisa carregar novamente toda vez que você entra. Já no aplicativo, você faz sua aposta, depois fala com alguém no WhatsApp, vai pro Instagram e depois volta para o aplicativo e o andamento da sua aposta está atualizado automaticamente”.

Para Débora, os aplicativos irão se tornar ainda mais populares do que os sites de apostas.“A procura por aplicativos de apostas, como o Pixbet app e o app da Betano, por exemplo, cresceu muito de 2020 para cá. Há dois anos, não eram muitas as casas de apostas que disponibilizavam aplicativo para o público brasileiro. Hoje, muitas oferecem apps tanto para Android quanto para iOS. A tendência é, ao meu ver, termos mais ênfase nos aplicativos do que nos sites de apostas nos próximos anos”, finaliza Débora.

Anúncio