Custo para construir sobe 0,33% em agosto e acumula alta de 8,8% em 2022, mostra FGV

Desaceleração do indicador é puxada pelas altas menores nos preços da mão de obra, materiais, equipamentos e serviços

Brasília – O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) perdeu força e subiu 0,33% em agosto, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (26) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Com a desaceleração ante a alta de 1,16% registrada em julho, o indicador acumula alta de 8,8% neste ano e de 11,4% nos últimos 12 meses. Em agosto de 2021, o índice saltou 0,56% no mês e acumulava alta de 17,5% no intervalo de um ano.

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

O resultado do mês ocorreu com a alta menor dos preços de materiais, equipamentos e serviços, de 0,6% em julho para 0,14% em agosto, e da mão de obra, que subiu 0,54%, após avançar 1,76%, em julho.

A taxa correspondente a materiais e equipamentos variou 0,03% em agosto, após subir 0,62% no mês anterior. Todos os subgrupos componentes apresentaram decréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de 0,63% para -0,08%.

Já a variação relativa a serviços passou de 0,49% em julho para 0,68% em agosto. No grupo, vale destacar o avanço da taxa do item refeição pronta no local de trabalho, que passou de 0,29% para 1,54%.

Anúncio