Custos da construção do Amazonas variam 0,05% de dezembro para janeiro

A variação percentual dos últimos 12 meses somou 5,61%

Manaus – O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado nesta sexta-feira (7), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), variou 0,05%, no Amazonas, em janeiro de 2020, na comparação com dezembro de 2019. A variação positiva de 0,05%, em janeiro de 2020, no Estado, foi menor do que a registrada em nível nacional, que somou 0,30%.

Considerando a variação mensal da inflação em janeiro, de 0,21%, verifica-se que a variação no custo da construção no Estado (0,05%) foi inferior ao índice de inflação nacional para o mês.

No Brasil, o índice de 0,30% de variação em janeiro de 2020, representou o aumento de 0,08 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,22%).

A variação dos últimos doze meses, no Brasil, foi 3,91%, ou seja, -0,12% p.p. abaixo daquela variação registrada em dezembro de 2019 (4,03%).

A variação percentual da construção civil do Estado do Amazonas de 0,05% obtida no mês de janeiro de 2020, em relação ao mês de dezembro do ano anterior, coloca o Estado do Amazonas numa posição intermediária entre as outras unidades da federação (8ª menor). Os menores índices foram no Distrito Federal (-0,24%), Paraná (-0,12%) e Santa Catarina (-0,09%). E os maiores índices foram os dos Estados de Mato Grosso (1,39%), Tocantins (1,21%) e Ceará (1,18%).

O custo médio por metro quadrado da construção civil, em moeda corrente (Reais), no Amazonas, subiu de R$ 1.145,08 no mês de dezembro de 2019, para R$ 1.145,69, no mês de janeiro de 2020. No Brasil, esse custo ficou em R$ 1.162,24, no mês de janeiro deste ano. O custo médio por metro quadrado da componente material, em moeda corrente (Reais), no Amazonas, aumentou de R$ 633,46, em dezembro de 2019, para R$ 634,07, em janeiro de 2020. O custo médio por metro quadrado da componente mão de obra, em moeda corrente (Reais), no Amazonas, foi de R$ 511,62, em janeiro de 2020, mantendo-se igual a dezembro de 2019 (R$ 511,62).

No Brasil, esse índice, em moeda corrente (Reais), saiu de R$ 1.158,81 em dezembro de 2019 para R$ 1.162,24 em janeiro de 2020. O custo médio por metro quadrado da componente material, em moeda corrente (Reais), no Brasil, aumentou de R$ 605,64, em dezembro de 2019, para R$ 609,39, em janeiro de 2020. O custo médio por metro quadrado da componente mão de obra, em moeda corrente (Reais), no Brasil, foi de R$ 553,17, em dezembro de 2019; e em janeiro de 2020 foi de R$ 552,85.

O custo médio da construção civil de R$1.145,69 colocou o Estado do Amazonas em uma posição intermediária em relação às outras Unidades da Federação (14ª posição). Os menores custos foram os dos Estados de Sergipe (R$ 997,79), Rio Grande do Norte (R$ 1.041,61) e Pernambuco (R$ 1.042,52). E os maiores foram os dos Estados de Santa Catarina (R$ 1.329,80), Acre (R$ 1.292,4) e Rio de Janeiro (R$ 1.291,72).

O custo médio da componente material no Estado do Amazonas de R$634,07 colocou o Estado em uma posição intermediária em relação às outras unidades da federação (10ª posição). Os menores custos de material foram os dos Estados de Sergipe (R$ 540,70), Espírito Santo (R$ 544,90) e Bahia (R$ 561,77). E os maiores foram os do Acre (R$ 720,44), Distrito Federal (R$ 686,6) e Rondônia (R$ 680,89).

O custo médio da componente mão de obra no Estado do Amazonas de R$ 511,62 colocou o Estado em uma posição intermediária em relação às outras unidades da federação (15ª posição). Sergipe (R$ 457,09), Rio Grande do Norte (R$ 457,45) e Ceará (R$ 468,72) registraram os menores índices referentes à componente mão de obra; Santa Catarina (R$ 696,13), Rio de Janeiro (R$ 664,2) e São Paulo (R$ 638,53) registraram os maiores índices.