Elsys: tecnologia e inovação no Polo Industrial de Manaus

Além de distribuir produtos para todos os estados brasileiros, a marca passou a exportar, também, para outros três países da América Latina

Manaus – Tecnologia de acesso à internet e serviço de streaming. Essas têm sido as apostas da Elsys, empresa do ramo tecnológico e de telecomunicações, com fábrica na Zona Franca de Manaus, na Avenida Torquato Tapajós, bairro Flores, zona centro-sul da cidade. Com mais de 10 mil metros de área construída, a empresa emprega, hoje, cerca de 350 funcionários. Além de distribuir produtos para todos os estados brasileiros, a marca passou a exportar, também, para outros três países da América Latina.

A Elsys emprega hoje cerca de 350 funcionários na fábrica em Manaus (Foto: Yago Frota/GDC)

Apesar da crise, a empresa já conseguiu aumentar 11% da folha, neste ano, segundo o diretor comercial da empresa, Cláudio Blatt. Além da unidade que opera em Manaus, a empresa possui outras filias, sendo uma em Valinhos (SP) e outra na China, de onde são trazidos os insumos utilizados na fabricação.

“Nós estamos um pouco na contramão da crise. Ano passado nós aumentamos em 20% a nossa folha. Nesse ano, nós já estamos finalizando 2019 com 11% de crescimento. Então, a gente gera emprego, entra novos negócios”, disse.

De acordo com o diretor comercial, mais de 150 mil produtos são fabricados por mês, com vendas em todo o território brasileiro. “Temos distribuidores e revendedores em todos os cantos do Brasil, com uma grande capilaridade. São mais de 30 mil pontos de vendas. Nós iniciamos, também, nesse ano, a exportação para a Colômbia, México e Argentina”, afirmou.

Sobre os insumos utilizados na fabricação dos produtos, o gerente de logística da Elsys, Agostinho Alfaia, afirmou que mais de 95% dos recursos são trazidos da Ásia, sendo a maioria transportada por via marítima. Ele conta que o processo logístico na região ainda é um dos fatores que causam certos entraves na agilidade da produção, em relação ao recebimento e distribuição dos produtos.

“Poucas coisas vêm por meio aéreo. Só o trânsito de mar dura cerca de 40 a 50 dias, ainda temos o processo de desembraço na legislação aduaneira, que leva mais dez dias. Nós temos que ter um planejamento de, no mínimo, com antecedência de seis meses”, acrescentou.

A empresa tem apostado no ‘Smarty’, dispositivo de streaming que pode ser conectado a TV (Foto: Yago Frota/GDC)

Modelo de fábrica inteligente

Na linha de produção, a empresa desenvolveu um sistema de digitalização de treinamentos e orientações para os colaboradores, pensando no lado sustentável. Por meio de um tablet, o funcionário consegue ter acesso às instruções sobre a montagem dos equipamentos, além de documentações. Conforme o gerente de engenharia e qualidade, Eduardo Maia, com o novo sistema, a empresa conseguiu reduzir a utilização de papel.

“Foi um projeto desenvolvido pelos próprios colaboradores. É um projeto de sustentabilidade que, praticamente, eliminou todo o papel, toda documentação impressa da linha de produção. Isso faz com que a gente tenha uma agilidade maior nos treinamentos dos colaboradores e nos registros”, completou.

O método permite, ainda, que os gestores tenham acesso em tempo real sobre tudo que está sendo produzido. Com este recurso, é possível saber o dia, a hora e quem foi o responsável pela montagem do produto.

“Com esse método, nós conseguimos acompanhar todo o treinamento dos colaboradores e com outro sistema, também, acompanhar toda a vida do produto, desde a placa nua até o produto final no cliente, conseguimos rastrear todo o processo de transformação do produto”, explicou.

A cada 12 segundos um dispositivo é fabricado na Elsys em Manaus (Foto: Yago Frota/GDC)

Produtos

Entre os produtos de maior destaque, a empresa tem apostado no ‘Smarty’, dispositivo de streaming que pode ser conectado a TV, e o ‘Amplimax’, um amplificador de sinal que permite acesso à internet e realização de chamadas em locais de difícil acesso.

“Hoje temos um leque grande de produtos, apontados para cada um dos segmentos. Mas o ‘Amplimax’ é um produto que a gente tem muito carinho, por ter sido produzido no Brasil, não tem em outro lugar do mundo. Na linha de TV, agora, o ‘Smarty’, que é o primeiro streaming box que leva o melhor da televisão, com comando de voz. É um produto fantástico. Continuamos forte em TV por assinatura, e entramos no mercado de segurança e de energia solar”, destacou o diretor comercial da empresa, Cláudio Blatt.

O gerente de engenharia e qualidade, Eduardo Maia, disse que o ‘Smarty’ foi lançado em maio deste ano. A cada 12 segundos um dispositivo é fabricado, com capacidade de 1.100 por dia. A expectativa é que com a demanda do mercado a produção aumente até quatro vezes mais.

“Todo mundo que conhece esse aparelho, com comando de voz do Google, toda essa conectividade, com aplicativo, ver que a gente tem total certeza que ele vai fazer bastante sucesso no mercado nacional”, falou.

Anúncio