Empreendedorismo em 2020 e 2021: negócios durante a pandemia

Franquias, marketing de afiliados e e-commerce foram alguns dos segmentos em que os novos empreendedores mais apostaram

Manaus – Passar mais de um ano em casa, sem viajar a lazer, sem sair com os amigos e sem poder realizar grande parte das atividades as quais já se estava acostumado tem sido extremamente difícil e desgastante para uma parcela enorme da população.

Baixar filmes na internet, assistir todos os vídeos dos canais preferidos no Youtube, ler os livros que havia prometido ler e nunca conseguiu e até aprender a tocar um novo instrumento ou descobrir um novo hobbie foram algumas das maneiras utilizadas para suportar, e tentar minimizar, os efeitos do distanciamento social, do adiamento da viagem dos sonhos ou do casamento na praia, da saudade dos familiares e das competições esportivas, e até do medo de contrair a doença ou perder uma pessoa querida.

Com o passar dos meses, porém, as opções para quem tomou a decisão de se manter distante socialmente foram ficando reduzidas e deram espaço para uma avalanche de tédio para quem podia ficar em casa, seguro, mas sem muitas opções de lazer ou distração.

Para essas pessoas, o empreendedorismo se tornou uma válvula de escape, possibilitando um novo mundo de aprendizados e realizações e, complementarmente, gerando empregos e oportunidades para outras pessoas.

Franquias, marketing de afiliados e e-commerce foram alguns dos segmentos em que os novos empreendedores mais apostaram, a fim de aproveitar oportunidades imediatas e semear resultados para o pós-pandemia.

Durante a pandemia, o empreendedorismo se tornou uma válvula de escape para muitas pessoas (Foto: Reprodução / Internet)

Micro franquias se tornam opção para novos empreendedores

Uma franquia de açaí custa, em média, R$60.000.

O valor pode parecer alto para quem nunca imaginou montar um negócio, mas quando o empreendedor começa a pesquisar e descobrir todo o suporte que uma franqueadora oferece para um franqueado fica bem simples entender os valores solicitados como investimento inicial.

Humberto Damas, diretor de estratégia e finanças do Grupo Bittencourt, esclarece porque uma franquia é uma opção mais segura de investimento do que iniciar um negócio sozinho: “Há um processo longo de aprendizado que vem das franqueadoras. Muitas delas já passaram por momentos de crise e instabilidades ao longo de sua trajetória, tiveram seus aprendizados e podem guiar os franqueados a driblarem melhor as adversidades do momento”.

Franquias entre R$30.000 e R$80.000 são as que mais chamam a atenção de empreendedores de classe média, que possuem algum capital para investir, mas não estão dispostos a arriscar sozinhos, sem ter o suporte de alguém experiente na gestão e desenvolvimento do negócio.

A Milk Shake Mix Franquia, por exemplo, tem um custo inicial de R$48.000,00 e já conta com mais de 900 lojas espalhadas pelo Brasil.

Outro ponto interessante é que as franquias de alimentação, como as citadas acima, fazem parte do nicho que mais fatura entre todos os tipos de franquias.

Em 2020, apesar de todos os problemas apresentados pela pandemia, foram 40,898 bilhões de reais de faturamento.

Marketing de afiliados alavanca negócios variados na internet

Outro mercado que ganhou a atenção de novos empreendedores foi o de marketing de afiliados e, nesse caso, não se trata apenas de trabalhar com serviços de marketing como uma agencia de marketing digital.

Durante a pandemia, a venda de produtos como afiliado cresceu exponencialmente, fazendo com que pessoas que nunca tinham realizado uma venda no mundo físico se tornassem anunciantes dos mais diversos tipos de produtos no meio digital.

E-books, cursos, vídeo-aulas e todo tipo de material que possa transmitir valor têm sido comercializado na web por pessoas que não são contratadas para realizar essas vendas.

O sistema de afiliados geralmente permite que cada vendedor crie seu próprio método de vendas, com criação de conteúdos, site próprio, canais sociais, rede de vendedores e tudo mais que for necessário para se tornar um campeão de vendas.

Os afiliados, geralmente, não trabalham com apenas um produto específico e sim com diversos segmentos, que são testados e indicados para suas redes, possibilitando a monetização através dos mais variados nichos de produtos.

A Head of Business Development da Rakuten Advertising, Desiree Caterini, em palestra do Congresso Auto E-Commerce Show 2021, declarou: “Hoje, a afiliação trabalhada pela comissão de venda faturada é o modelo mais rentável para o e-commerce, trazendo o maior proveito para o mercado online, por aumentar vendas e diversificar o mix de canais de marketing. Sem contar que ela sempre garante o ROS (retorno sobre as vendas)”.

Com as empresas cada vez mais atentas a essa possibilidade de melhorar suas vendas, o que não deve faltar nesse e nos próximos anos, são oportunidades para empreender como afiliado.

E-commerce e a oportunidade para empreender em casa

Quem sempre sonhou em ser dono do próprio negócio e encontrou, durante a pandemia, tempo para observar o mercado e tomar uma decisão sobre onde empreender, percebeu que o e-commerce foi um dos segmentos da economia que mais se desenvolveu e que se tornou mais relevante a cada mês.

A América Latina foi, pela primeira vez, a região de maior destaque mundial em relação ao crescimento do comércio eletrônico, registrando um aumento de 36,7%, de acordo com dados divulgados pela eMarketer.

Complementarmente, estudo da E-bit Nielsen, empresa de mensuração e análise de dados, aponta que em 2021 as vendas online devem crescer 26%, atingindo um faturamento de R$ 110 bilhões.

O cenário positivo levou milhares de brasileiros a tomarem a decisão de iniciar uma operação de e-commerce durante a pandemia.

Segundo dados da ABComm (Associação Brasileira de Ecommerce), entre o início de março e o final de abril de 2020, foram abertos mais de 100.000 novos e-commerces.

Antes do anúncio da pandemia, a média mensal de novas lojas virtuais ficava em torno de 10 mil.

A 6ª edição do “Perfil do E-commerce Brasileiro”, realizada pelo PayPal, plataforma de pagamentos digitais, em parceria com a Big Data Corp, demonstrou que o número de lojas virtuais saltou de 930 mil em agosto de 2019 para 1,3 milhão em agosto de 2020, confirmando o estímulo que a Pandemia causou em relação à criação de novos e-commerces.

Considerações Finais

Apesar de a pandemia ter causados danos a todos os setores da sociedade, o empreendedorismo brasileiro continua surpreendendo por sua resistência e capacidade de florescer em tempos áridos.

É visível que há oportunidades se apresentando sempre que novas necessidades são criadas e, seja do tédio, da insegurança, do cansaço ou da criatividade, o empreendedor continua encontrando meios de desenvolver suas habilidades.

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais.

Anúncio