Emprego no AM cresce pelo terceiro mês puxado pela indústria

Dados do Caged apontam saldo de 3,2 mil postos com carteira em março e 6,9 mil no acumulado do ano

Manaus- O emprego com carteira assinada no Amazonas cresceu pelo terceiro mês consecutivo no ano, com saldo de 3.200 vagas, em março, quase 40% na indústria. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) divulgados nesta terça-feira (30), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No País, o saldo do emprego formal atingiu 244.315 postos.

(Foto: José Paulo Lacerda / CNI)

O setor industrial respondeu pelo saldo de 1.218 postos, resultado de 4,4 mil contratações contra 3,1 mil demissões, com o melhor resultado no segmento na fabricação de produtos de informática, eletrônicos e ópticos, com saldo de 498 vagas no mês, seguido manufatura de máquinas, aparelhos e materiais elétricos, com 299 vagas.

Já o setor de serviços respondeu por 894 postos formais, quase metade no segmento de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais.

O comércio foi o terceiro maior empregador, com 636 postos de saldo, a maioria no segmento varejista, seguido pela construção, com saldo de 396 vagas formais.

Com o resultado, o Amazonas acumula saldo de 6.911 vagas até março, resultado de 66,3 mil contratações e 59,4 mil demissões. O resultado do mês foi mais que o dobro de igual período do ano passado, quando o saldo de vagas ficou em 1.181 postos. Em março deste ano foram contratados 22,6 mil trabalhadores e outros 14,4 mil foram desligados, o que resultou no saldo de 3,2 mil postos, apontam os dados do Caged.

No Brasil, o mercado formal gerou 244.315 postos, acumulando no 1º trimestre do ano um total de 719.033 vagas formais. O resultado ficou positivo no mês em quatro dos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas e em 25 dos 27 Estados. Com isso, o estoque total recuperado para o Caged foi de 46.236.308 postos de trabalho formais, aponta o MTE.

Em março do ano passado a economia gerou 194.372 postos e no acumulado dos últimos 12 meses, o saldo foi de 1.647.505, postos de trabalho, 182.164 empregos a mais do que o saldo do ano de 2023.

O setor que mais gerou empregos no mês foi o de serviços, com geração de 148.722 vagas, seguido do comércio (37.493), da indústria (35.886) e construção (28.666). Somente o setor da agropecuária ficou negativo, com perda de 6.457 postos de trabalho.

Anúncio