Fecomércio AM pretende propor ajustes a decreto estadual junto ao Governo do AM

Em nota, divulgada na tarde deste sábado (26), a entidade disse que compreende as dificuldades da pandemia, mas reforçou que o comércio não é o causador da Covid-19

Manaus – A Fecomércio AM emitiu nota na tarde deste sábado (26) informando que vai solicitar ajustes ao decreto estadual junto ao governador Wilson Lima. Em nota, a entidade disse ainda que compreende as dificuldades da pandemia, mas reforçou que o comércio não é o causador da Covid-19.

“A Fecomércio AM entende a necessidade de se reunir com o governador do Amazonas, Wilson Lima, com o intuito de pleitear ajustes em inconsistências encontradas no decreto nº 43.234, de 23 de dezembro de 2020, que restringe atividades comerciais não essenciais.
A entidade compreende as dificuldades enfrentadas pelo sistema público de saúde em nosso estado, mas destaca que o Comércio não é responsável pela disseminação do coronavírus, o que gera a sua proliferação é o não respeito e adequação aos protocolos de segurança”, diz trecho da nota.

O centro da capital tem um aumento significativo no fluxo de pessoas devido a chegada das festas de final de ano (Foto: Pablo Trindade/ Arquivo /GDC)

“A Fecomércio AM ratifica que entende a preocupação do governo estadual e se solidariza na busca em preservar a saúde da população, interrompendo o aumento no número de infectados e de mortos pelo coronavírus. A entidade propõe a restrição de forma gradual e não em sua totalidade das atividades comerciais não essenciais, tendo em vista que o Comércio se adequou a todos os protocolos de segurança e não pode ser penalizado como sendo a raiz da pandemia”, destaca a entidade.

E finaliza: “A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do AM conclama os empresários e trabalhadores do comércio a manterem os cuidados preventivos e assegura que irá manter o diálogo com o governo estadual, no intuito de mitigar os impactos das medidas restritivas sobre a atividade comercial.”

Anúncio