Feiras de Manaus ainda sofrem com falta de produtos e preços elevados

Feirantes da capital ainda esperam o preço baixar para restabelecer alguns itens. Tomate, cebola e batata estão cerca de 50% mais caros

Manaus – Quase uma semana após o fim da greve dos caminhoneiros, o consumidor ainda sofre com os reflexos da paralisação, principalmente na alimentação. Nas feiras de Manaus, os preços continuam elevados e alguns produtos ainda estão faltando.

O tomate, a cebola e a batata são os itens que ficaram mais caros. Nesta terça-feira (5), a reportagem da REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) verificou que o quilo do tomate saiu de R$ 4 para quase R$ 9. A cebola, que antes custava R$ 5, chegou a R$ 10, e a batata, que era vendida a R$ 2, agora chega a até R$ 6.

Feiras de Manaus ainda sofrem com falta de produtos e preços elevados (Foto: Reprodução/TV Diário Record News)

A dona de casa Edileuza Costa disse que teve de pesquisar bastante e nem conseguiu comprar tudo. “Está muito caro, mas a gente compra aqui ou ali, porque o negócio tá difícil. Tem canto um pouco mais barato e outros mais caros, tem que pesquisar”, contou.

Com o aumento dos preços, os feirantes disseram que recuaram nas compras e, com isso, o reflexo é na falta de produtos e preços acima do comum. O cenário foi constatado na Feira do Produtor, na zona leste, e na Feira do Japiim, zona sul da capital.

Trabalhando na Feira do Produtor há 22 anos, Raimundo Nonato conta que deixou de comprar alguns produtos por conta do preço. De acordo com ele, o saco de tomate, que antes saía para ele por R$ 80, hoje está custando cerca de R$ 190. “Está ruim para trabalhar. Você compra a mercadoria e quando termina de vender não dá mais pra comprar outra. Você perde, a gente está até sem mercadoria porque demos uma ‘paradinha’. Quando estabilizar o preço, a gente começa a trabalhar de novo”, disse.

Anúncio