Governo proíbe novos cadastros para o auxílio emergencial 2021

Segundo informou membros do governo, não há espaço para que novos cadastros possam ser abertos

As regras para receber o auxílio devem se manter as mesmas. (Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo)

Mesmo aqueles que perderam sua fonte de renda e trabalho do meio do ano passado pra cá estão impedidos de realizarem um novo cadastro. A medida vem sendo duramente criticada por organizações da sociedade civil que considera urgente a necessidade da abertura de um novo prazo para solicitar o auxílio.

Segundo informou membros do governo, não há espaço para que novos cadastros possam ser abertos, é necessário “aproveitar o que já existe”. A previsão do governo é de que aproximadamente 46 milhões de brasileiros recebam a nova prorrogação. No inicio do pagamento no ano passado o benefício chegou a ser pago a 67 milhões de pessoas.

Além de não abrir espaço para novas solicitações, o governo também cortou diversos beneficiários do ano passado. Segundo informações, foi realizado uma “peneira” que utilizou 11 bases de dados com o objetivo de identificar aqueles que receberam o benefício mas não fazem jus ao pagamento.

Por fim estarão vetados da nova prorrogação os cidadãos que recebem ou que começaram a receber:

  • Pensão
  • Aposentadoria
  • Benefício assistencial
  • Seguro-desemprego

Requisitos previstos para receber

As regras para receber o auxílio devem se manter as mesmas, onde o benefício é destinado aos trabalhadores informais, autônomos, MEIs e desempregados com renda de até meio salário mínimo por pessoa ou ou cuja renda familiar total seja de até 3 (três) salários mínimos.