Gradiente confirma volta da produção no PIM no segundo semestre de 2018

Marca que já foi referência na produção de eletroeletrônicos vai atuar agora na produção para energia solar, lâmpadas de LED e equipamentos de monitoramento na área de segurança

Manaus – A Gradiente, após a implementação bem-sucedida de seu plano de reestruturação, ganhou folego e, no segundo semestre, voltará a operar no Polo Industrial de Manaus (PIM) com a fabricação de novos produtos, cujo principal foco será a energia sustentável.

Diretor-presidente da Gradiente, Ricardo Staub anuncia nova fase de investimentos no Polo Industrial de Manaus. (Foto: Divulgação/Gradiente)

Em seu auge a companhia empregou mais de 9 mil funcionários diretos, e, mesmo com a atividade fabril suspensa, jamais esteve fora do mercado desde a sua instalação no PIM em 1972, pois manteve seus parques industriais ativos com a locação destes para novas empresas que buscavam se instalar no Polo Industrial, além de manter a prestação de serviços de assistencia técnica e restauração de seus produtos iconicos lançados há algumas décadas atras.

A Gradiente como sempre pioneira, destacou-se por seu empreendedorismo visionário, a marca é reconhecida em todo País pela sua inovação tecnológica no seguimento de eletroeletrônicos. Dentre as realizações da empresa, destaca-se o pioneirismo da Gradiente como a primeira empresa a fabricar e lançar o CD Player, o DVD Player, o MP3 Player, a TV de tela acima de 29 polegadas, o DVDokê e o título de primeira industria brasileira a fabricar e lançar a primeira HDTV (TV com imagem de alta definição) .

A Gradiente também foi responsável por abrir o polo para o segmento de informatica e trazer a Nokia, maior fabricante de telefonia celular na época, para a Zona Franca de Manaus.

A empresa foi pioneira também em lançar o primeiro telefone de padrão brasileiro; o primeiro celular analógico; o primeiro celular digital, feito no País; linhas de smartphones e celulares modernos; os systemns, que são aparelhos receiver, assim como modelos diversos de toca-discos, toca-fita e caixas acústicas integradas em um só produto. Também produziu tabletsTVs; players de Blu-ray; conversores de Smart TV; home theather e fones de ouvido.

A Gradiente foi considerada líder no segmento de eletroeletrônicos no Brasil, em 2005, pela Forbes e saiu na lista Interbrand de dez marcas mais valorizadas do País no ano de 2003.

Redirecionamento

Utilizando seu ponto forte, a marca que já foi referência na produção de eletroeletrônicos e inovação investe agora no seguimento de energia sustentável, e tem por projeto inicial a fabricação de painéis solares e lâmpadas de LED. A médio prazo, também irá abranger o segmento de Segurança, Monitoramento e de produtos áudio.

Para Ricardo Staub, diretor-presidente da Gradiente, “ao retormar as atividades industriais com a fabricação de novos produtos com principal foco em sustentabildiade, a companhia está, na verdade, resgatando o seu DNA que tem por base três pilares: Tecnologia, Inovação e Qualidade (TIQ)”.

Questionado sobre o atual cenário no PIM que enfrenta grandes desafios, Ricardo Staub destacou que para a continuidade das atividades industriais é fundamental o apoio do governo federal e estadual, bem como a união da Fieam, Cieam e Sindicatos dos Metalúrgicos e Patronal, para defender a manutenção e aumento dos beneficios fiscais da ZFM, os quais hoje sofrem diversos ataques,

De acordo com Staub: “A Gradiente fecha um ciclo e inicia um novo, buscando fomentar o crescimento do Polo Industrial de Manaus”.