Imposto de Renda: mais de 1,3 milhão de contribuintes caíram na malha fina

Número de documentos barrados equivale a 3,1% do total de declarações enviadas

São Paulo – A Receita Federal disponibilizou nesta sexta-feira (22) a consulta ao quinto e último lote de restituição do Imposto de Renda 2023. Junto com a divulgação, o Fisco revelou que 1.366.778 contribuintes estão presos na malha fina, o equivalente a 3,1% do total de declarações recebidas neste ano.

(Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Entre todas as declarações retidas, mais da metade delas (58,1%) apresentam problemas no item de despesas médicas. Em seguida, aparecem a omissão de rendimentos sujeitos ao ajuste anual de titulares e dependentes (27,6%) e as divergências entre os valores retidos na fonte (10%).

Por fim, as deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados e divergência entre os valores declarados de carnê-leão e imposto complementar e os valores efetivamente recolhidos motivam 4,3% das retenções.

Do total de declarações retidas em malha, o Fisco afirma que 954.814 têm imposto a restituir, 386.102 apresentam imposto a pagar e 25.962 não têm valor de imposto a restituir, nem a pagar. A consulta para saber sua situação está disponível na página da Receita na internet.

Ao clicar em “Meu Imposto de Renda”, o contribuinte tem acesso aos detalhes do processamento de sua declaração. Nos casos de divergência, o Fisco informa qual item gerou a falha e dá instruções para corrigi-la a fim de evitar problemas futuros.

Após identificar a irregularidade, é possível fazer uma retificação da sua declaração, desde que ainda não tenha recebido o termo de intimação. Se você considera todas as informações corretas ou a pendência da declaração refere-se à apresentação de documentos, você pode antecipar a entrega diretamente pelo e-CAC, em formato digital.

Anúncio