Juros do rotativo do cartão de crédito disparam em 2022 e beiram os 400% ao ano, mostra BC

Na contramão do cartão de crédito, taxa média praticada no cheque especial recuou para 132,5% ao ano

Brasília – A taxa média de juros do rotativo do cartão de crédito avançou 8,8 pontos percentuais em outubro, na comparação com setembro, e atingiu 399,5% ao ano, segundo dados apresentados nesta segunda-feira (28) pelo Banco Central.

De acordo com as estatísticas monetárias e de créditos da autoridade monetária, as taxas do rotativo apresentam uma variação de 52,1 pontos percentuais no acumulado deste ano e de 57,3 pontos percentuais nos últimos 12 meses. Com a escalada, o patamar é o maior desde agosto.

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Com a evolução da taxa média de juros do cartão, um consumidor que cair rotativo com uma dívida no valor de R$ 1.000 terá que desembolsar R$ 3.995 para quitar o saldo devedor com o banco após um ano.

O rotativo do cartão é uma das modalidades de crédito mais acessadas em momentos de dificuldade. No caso do uso parcelado do recurso, a tarifa média cobrada aos consumidores foi de 184,5% em outubro, patamar 1,1 ponto percentual inferior ao apurado em setembro.

Cheque especial

Diferentemente da evolução das taxas do cartão de crédito, relatório mostra uma queda de 1,8 ponto percentual da taxa média praticada no cheque especial na passagem de setembro para outubro, de 134,3% para 132,5%, o menor patamar desde abril.

Como alternativa às linhas de crédito mais caras do mercado, o consumidor pode aderir ao crédito consignado, cuja taxa média foi de 27,6% em outubro, valor 2,2 pontos percentuais superior à tarifa praticada em setembro.

O movimento das altas taxas de juros ao consumidor pode ser justificado pela sequência de elevações da taxa básica de juros, que saltou 11,75 pontos percentuais, de 2% para 13,75% ao ano, em um ano e meio e figura no maior patamar desde o início de 2017.

Anúncio