Maior parte dos endividados da região Norte sofrem insônia ou tem pensamentos negativos

Estudo revela ainda uma análise inédita dos reflexos emocionais gerados nos brasileiros

Manaus – A 5ª edição da Pesquisa “Perfil e Comportamento do Endividamento Brasileiro”, encomendada pela Serasa, mostra os estragos emocionais e abalos nas relações pessoais e familiares causados pelas dívidas. Os principais dados da pesquisa que ouviu 5.225 pessoas em todas as regiões do país revelam um cenário psicológico preocupante.

(Foto: Divulgação)

Confira os dados do estudo na região Norte:

– 81% dos endividados têm dificuldade para dormir por conta das dívidas;

– 75% têm surtos de pensamentos negativos devido aos débitos vencidos;

– 71% afirmam ter dificuldade de concentração para realizar tarefas diárias;

– 58% dos entrevistados sentiram impacto no relacionamento conjugal;

– 56% viveram ou vivem sensação de “crise e ansiedade” ao pensar na dívida;

– 49% dos pesquisados revelam sentir “muita tristeza” e “medo do futuro”:

– 46% dos entrevistados têm vergonha da condição de endividado;

– 30% não se sentem mais confiantes em cuidar de suas próprias finanças;

– 31% sentiram impacto das dívidas no relacionamento com familiares.

“O sistema biológico é o primeiro a sentir os efeitos da preocupação com as dívidas”, observa Valéria, há 14 anos atendendo pacientes que tentam lidar com o problema. “A ansiedade vai invadindo a rotina de quem busca incansavelmente uma solução, o endividado passa a viver com pensamentos voltados ao futuro, não consegue mais relaxar e, consequentemente, não se concentra nas suas tarefas habituais e nem consegue mais dormir com normalidade”, explica a psicóloga.

Esperança e confiança

O estudo, porém, também traz dados animadores, como o fato de que 71% dos respondentes da região Norte revelam ter confiança em quitar a dívida e recuperar o crédito e 55% passaram a conversar com os familiares sobre a importância de reduzir os gastos da casa e buscar soluções conjuntas.

“É visível que há uma tentativa saudável de monitorar e controlar os gastos, uma conscientização que certamente pode ser atribuída à quantidade e variedade de informações sobre o tema da educação financeira que, felizmente, chega hoje em dia por várias mídias”, diz Valéria.

“Para milhões de endividados, recomeçar significa ter o nome limpo novamente”, diz Matheus Moura, Diretor da Serasa. “Por isso que o nosso propósito é ajudar o brasileiro não apenas a pagar suas dívidas e recuperar crédito, mas compartilhar ensinamentos de educação financeira”, complementa.

O endividamento no Brasil

Mesmo em queda leve nos indicadores do país, o desemprego ainda é considerado o principal motivo de endividamento, apontado por 29% dos entrevistados, de todo o Brasil, pela Pesquisa da Serasa. Na sequência, aparece a causa da redução na renda própria (12%). Chama a atenção no estudo que 11% dos pesquisados em todo o país revelam ter emprestado o nome para um amigo, conhecido, colega ou familiar e este nunca honrou com o compromisso financeiro assumido.

Confira o estudo completo no site da Serasa: Pesquisa Endividamento 2022 (serasa.com.br)

Feirão ajuda a sair da inadimplência

Até 5 de dezembro é possível renegociar as dívidas no Feirão Serasa Limpa Nome por meio dos canais digitais da empresa. Com o objetivo de conter um novo recorde de inadimplência, o tradicional Feirão da Serasa traz um conjunto de novidades, como a possibilidade do pagamento via Pix e da baixa da negativação em até 24h, além dos descontos que chegam a 99%.

O Feirão Serasa Limpa Nome acontece nos seguintes canais:

Também é possível realizar a consulta e a negociação das dívidas presencialmente nas mais de 11 mil agências dos Correios distribuídas pelo país que oferecem as mesmas condições mediante o pagamento de uma taxa de R$3,60.

A Pesquisa foi produzida pelo Instituto Opinion Box. O estudo conta com o suporte técnico e análise de Valéria Meirelles, Psicóloga do Dinheiro, especialista na abordagem comportamental gerada pelo endividamento.

Anúncio