Mais de 70% só saem de casa em último caso, aponta pesquisa

Consumer Thermomether revela as escolhas dos consumidores em tempos de incertezas com a pandemia do coronavírus, causador da doença respiratória Covid-19

Manaus – Pandemia que deve iniciar sua curva ascendente no mês de abril, o coronavírus, causador da Covid-19, já muda os hábitos dos consumidores brasileiros a ponto de 74% já estarem saindo de casa, apenas para as compras realmente necessárias. É o que revela a pesquisa Consume Thermomenter da Kantar.

Para a maioria, sair de casa só vale para compras de grande necessidade (Foto: Tomaz Silva/ABr)

Desde 25 de fevereiro, o coronavírus chegou ao Brasil e a América Latina mudando o cotidiano de milhares de pessoas. 67% dos brasileiros já parou de ir a bares, restaurantes, lanchonetes e outros; 66% deixou de ir a shoppings centers e parques (leia mais na página 10); 27% consideram comprar alimentos mais saudáveis e nutritivos; 21% querem alimentos mais frescos, 20% querem estocar alimentos básicos como arroz e carnes, por exemplo; e 20% consideram comprar mais medicamentos para gripes e resfriados.

Além disso, 77% consideram a TV o meio mais confiável para se obter informações sobre o coronavírus; e 66% ainda não sabem que operadoras de TV por assinatura abriram a programação para não assinantes. Por outro lado, as pessoas já estão assistindo mais televisão, com incremento na audiência dos programa jornalísticos e infantis (+17%).

De acordo com a pesquisa, as atividades econômicas de turismo e aviação são os primeiros a ser impactados pelos fechamentos de aeroportos, cancelamentos de voos e bloqueios em fronteiras anunciado s nos últimos dias. As ações de turismo caíram aproximadamente 70%, em fevereiro.

Além destes segmentos econômicos, segundo a pesquisa, o varejo, os restaurantes e os eventos de grande público como os esportes também terão suas receitas impactadas com a restrição de circulação de pessoas que adotaram a quarentena como meio de combater a disseminação do coronavírus.

Preocupações

A pesquisa também identificou que 21% dos brasileiros estão preocupados com a saúde dos filhos e de outras crianças da família; 17% se preocupam com os mais velhos; e 16% temem pela saúde das pessoas em geral.

Com o isolamento, as redes sociais são o maior meio de contato entre as pessoas. Nos últimos dez dias, as conversas sobre o assunto no Twitter representaram 72% de tudo que foi falado sobre a Covid-19, no ano, no Brasil.